sábado, 1 de abril de 2017

"AS ENERGIAS DE ABRIL DE 2017"

NATALIA ALBA - "AS ENERGIAS DE ABRIL DE 2017: TRANSFIGURAÇÃO E INICIAÇÃO CÓSMICA" - 30.03.2017


Meus amados,

Habitar nos reinos iluminados etéreos de Peixes durante março foi mágico e revelador, mas também intenso, visto que ainda estamos sentindo as energias dos eclipses e a profunda limpeza interna/física que continuamos a experimentar. Este novo mês de abril, principalmente regido por duas energias “retrógradas”, é um convite à interiorização, antes de ancorar os desejos de nossas almas – e criações – no físico, nos rejuvenescendo mental, física e emocionalmente. Não podemos criar nada autêntico a menos que nós mesmos sejamos puros.

Estamos agora sob o domínio do elemento fogo, e, como o nosso Sol está também muito ativo, ambas as forças estão nos ajudando a queimar tudo o que for velho, e renascer para a luz que sempre fomos e que foi reduzida, por causa das muitas ilusões de nosso eu inferior. Uma vez que alguns de nós estão profundamente imersos no processo de desfazer as membrana tridimensionais de nossos chacras inferiores, essa frequência ígnea também vai nos ajudar a fazê-lo e a nos purificar de modo que possamos continuar com o processo de integração de nossos chacras superiores/alma.

Em um nível planetário, há muitas mudanças, como vocês já podem estar sentindo, o que nos afeta neste momento, como também o coletivo, enquanto o campo magnético da Terra está enfrentando muitas mudanças, e isso, mais os raios da Lua (principalmente durante a Lua Cheia libriana, em 11 de abril) trarão todas as crenças limitadas e inconscientes – e os implantes – à superfície.

No momento, muitos dentre nós estão sob o processo de transfiguração – metamorfose interior e física de nossa personalidade 3D ou eu inferior. E podemos sentir profundas sensações físicas, tais como dores em nossos ossos e na coluna, dores de cabeça, ansiedade, queda de cabelo, entre muitas outras coisas, que   a liberação de antigas impressões e crenças produzem. Isso será também acompanhado por profundas mudanças de humor. Essa é a luz chegando de todas essas forças e alinhamentos cósmicos, nos ajudando a transformar e desfazer aquilo que não estiver mais alinhado com a vontade do nosso Eu Divino e com o papel da nossa alma. Essa Lua pode trazer desafios, mas também profundas revelações da jornada evolutiva de nossa alma.

Se vocês são estabilizadores, como é o meu papel anímico pessoal, vocês podem querer “isolar-se” e ficar em paz, enquanto esta etapa durar, visto que sabemos como é difícil manter o próprio equilíbrio, não dizendo nada nessas intensas etapas quando ajudamos a trazer o equilíbrio para o Todo. É por isso que este mês nos lembra de que tudo seja plenamente ancorado na Terra, bem como estejamos conectados aos reinos superiores, de modo que possamos continuar com o nosso equilíbrio interno, enquanto somos afetados pelas energias intensas da separação da Terra e de suas muitas mudanças nesse processo.

Podemos ficar mais propensos às emoções, durante este mês, e até mesmo deprimidos, principalmente os que estão começando a despertar, porque eles começarão o difícil trabalho interno de liberar toda essa bagagem cármica. Mas isso tudo está acontecendo para nos dar a oportunidade de reconhecer em que lugar o medo ainda continua representando o seu papel principal. O medo pode estar disfarçado sob várias formas, pode surgir em nossas vidas sob a forma de carência, de apego ou auto-sabotagem. Todavia, sempre temos a opção, como seres soberanos, de escolher a qual servir: se ao medo ou ao amor, que, afinal de contas, nós todos somos.

Temos uma oportunidade, principalmente durante a Páscoa, de remover as antigas crenças acerca do que realmente é a ascensão, e velhas impressões que estão nos impedindo de incorporar um nível de consciência mais elevado. Somente após nos transformarmos e começar a acolher nossa Essência Verdadeira e fazê-la descer para o nosso plano tangível, que passaremos da ascensão planetária para nos iniciarmos em um nível cósmico, que vem depois de nossas sete principais iniciações, e concluem a mestria de nosso eu humano inferior.

Abril é um mês que atua como uma ligação interdimensional, criando o espaço para que plantemos as sementes, que em maio finalmente florescerão, trazendo harmonia e unidade entre as nossas polaridades yin e yang, e regeneração, enquanto saímos de nossos domínios interiores e direcionamos todo o nosso fogo interno – e visões – para o nosso plano tangível. Se durante março, nos concentramos em nos manter, primeiramente, a partir de um lugar interno de clareza superior e de sabedoria, em abril, gradativamente, iremos voltar à superfície e fazer descer todos esses mundos interiores, para quando maio chegar, estarmos prontos para finalmente manifestá-los no físico.

Terminamos o mês de março, com o Sol já no signo de Áries. Passamos agora das águas piscianas para o fogo, e mais tarde sentiremos novamente o poder do elemento terra com Touro, no fim do mês. A roda da vida girou novamente e passamos da mestria e integração de toda a sabedoria recebida de nossos desafios passados, com o último signo do zodíaco, para nos iniciarmos novamente nessa jornada evolutiva anímica e infinita, com o primeiro signo do zodíaco, que nos conduz a um novo ciclo com a força e a sabedoria resgatadas das profundezas de nosso ser.

Conforme o Universo sempre confirma e nos demonstra em nossos céus, quando estamos sentindo e dando à luz em nosso micro, este mês tem uma frequência 14, que reduzida é 5. Se o número 5 sustenta a essência do fogo, que indica criatividade e ação – em nosso plano tangível, bem como em março – o número 4 nos lembra que abril, com a sua essência dominante masculina, nos faz sair do etéreo para prestar atenção ao lugar em que realmente residimos, como humanos.

Mas, como somos impulsivos, por natureza, às vezes, manifestando sem o discernimento adequado, a essência do número 14, que também governa este mês e que corresponde à carta do tarô da temperança, nos convida a que nos equilibremos, antes de acessar o desconhecido, porque, como as mulheres aladas da carta da temperança, ainda estamos no intervalo, com um pé no etéreo e o outro no mundano. Como Mercúrio também nos lembrará, pela ilusão humana de estar retrógrado, enquanto caminhamos entre os mundos, a única direção verdadeira vem de nossa bússola interna. Porque esse é o único meio que temos para conhecer o lugar para onde estamos indo e o que estamos manifestando.

Começamos este mês de abril tendo Vênus, o planeta da abundância e da beleza, retrógrado, entrando em Peixes. Vênus em Peixes e ainda mais ao lado da poderosa energia de Netuno, no mesmo signo, nos conecta ao nosso criador interno, ajuda-nos a dar à luz a nossas visões e nos expande para os desejos do nosso coração – e espiritualidade – visto que este é o momento para que possamos imergir em nossos sentidos interiores, conectando-nos com as nossas almas, e escutando a nossa orientação – e inspirações divinas – mais do que nos concentrando no mundo externo.

Vênus em “câmara lenta” vai nos conceder uma perfeita energia de cura para os nossos relacionamentos também. Será uma energia de cura, dissipando tudo o que for impuro e não autêntico em nossas sagradas reuniões, conduzindo-nos a uma síntese interna, estabelecendo uma conexão mais profunda com todos os aspectos de quem somos e amando cada um deles como exclusivos e iguais, sem qualquer julgamento, antes que possamos amá-los também em outro ser. Já que temos Quíron, o curador ferido, também em Peixes, será um importante momento para utilizar o perdão – principalmente com a Lua Cheia em Libra, no dia 11 de abril –  como a nossa principal ferramenta de cura e de integração da alma, o que é essencial, antes de acolhermos plenamente uma nova parceria. À medida que a deusa do amor revisa sua jornada, nós também o fazemos, e isso pode trazer, de nosso passado, antigos amantes e situações que pensávamos que estivessem terminado. Quando isso ocorre, é uma dádiva, porque estamos sendo informados de que existem determinados aspectos nossos ainda ativos internamente, que continua a atrair o que deve permanecer no passado.

Em 6 de abril, temos um outro Planeta, que nos lembra da importância de apenas ser, antes de darmos mais um passo para acessar o físico. Saturno, o Planeta da estrutura e da responsabilidade – outra forma da consciência na Criação – nos ensina como ser responsáveis por nossas ações/criações. Pelo contrário, do que alguns podem pensar, Saturno não nos pune por nossa falta de consciência em nossas ações passadas, mas nos faz mais conscientes do que deve ser alterado e transmutado, de modo que não possamos mais repetir os mesmos antigos padrões que não estão alinhados com quem nós realmente somos e com os desejos da nossa alma. Ao ter Saturno, Vênus e Mercúrio, bem como Plutão, mais tarde, retrógrados, nos é dada a dádiva de nos tornarmos testemunhas de toda a experiência de nossa vida – passada e presente – e de assumir plena responsabilidade por aquilo que manifestamos até este momento

NATALIA ALBA

Um Canal de Luz por Maria Silvia Orlovas: A lição do esquecimento

Um Canal de Luz por Maria Silvia Orlovas: A lição do esquecimento : ...