terça-feira, 30 de julho de 2013

Tratando Obesidade ( Prof. Paulo Noleto)


 
Contrariando todas as previsões feitas no passado, a obesidade tem se tornado um dos maiores problemas da atualidade. A Medicina Tradicional Chinesa tem utilizado seus diversos recursos terapêuticos, a acupuntura, a dietética, as ervas, os exercícios respiratórios e os exercícios físicos tradicionais (Tai Ji, Qi Gong, Liang Gong, etc) para combater esses quadros, tratando a obesidade e suas consequências.

De acordo com a Medicina Chinesa, o obeso pode ser classificado como obeso yin e obeso yang. Veja as características de cada um:

Obeso Yin
Obeso Yang
Acumula gordura na parte inferior
Acumula gordura na parte superior
Músculos flácidos, moles
Músculos rígidos, fortes
Pouco transpira – presença de mucosidade, fleuma e edemas
Transpira facilmente
Come pouco, mas engorda
Come muito, tem fome exagerada
Metabolismo lento
Metabolismo rápido
Membros ligeiramente frios
Membros quentes
Tende à hiptensão
Tende à hipertensão

Indicações terapêuticas para corrigir cada tendência.

Obeso Yin
Obeso Yang
Aconselhar a não comer gera o efeito inverso
Aumentar a excreção, a partir da utilização de ervas
Tonificar o Qi (energia vital)
Banho de infusão com cânfora, três vezes por semana
Tomar água antes das refeições
Beber sempre água quente
Beber sempre água fria ou natural
Comer alimentos “quentes”: pimentas, gengibre, alfavaca, alecrim
Comer alimentos “frios”: verduras cruas e ao vapor, frutas.
Dar preferência para carnes vermelhas magras. Calise
Dar preferência para peixes, em especial os de água fria
Incentivar o consumo de estimulantes – chá de gengibre, canela, vinho tinto e café.
Não usar estimulantes refrigerantes
Nunca comer frituras, óleos, açúcares.
Evitar gorduras animais.

Hoje inúmeras pesquisas comprovam a eficácia da acupuntura no controle de peso, além de comprovarem seus efeitos adicionais como a redução da hiperlipedimia, em especial os triglicérides e gordura do fígado (esteatose). Na Medicina Chinesa, a acupuntura tem papel fundamental no combate à obesidade, uma vez que possui a capacidade de regular as funções orgânicas, contribuindo para redução do peso. Isso ocorre pela sua ação nos centros de regulação hormonal e no consequente aumento metabólico através do estímulo das funções orgânicas.

Ações comprovadas da acupuntura no tratamento da obesidade:

• inibe o apetite
• inibe a excessiva ação digestiva e a absorção
• promove o consumo de energia
• promove a distribuição de gorduras em especial a da cintura
• reorganiza a função hormonal e os índices de colesterol e triglicérides
• regula patologias derivadas da obesidade, doenças cárdio-cérebro-vasculares, dislipidemias (alterações do colesterol e triglicérides), etc.

Métodos e técnicas de acupuntura mais utilizados no tratamento da obesidade:

• agulhas finas e longas no abdome para perda de medida e gorduras localizadas
• aurículo-acupuntura para redução do apetite e aumento da queima calórica
• inserção de catgut (fio de sutura absorvível) em pontos específicos a cada 15 dias
• Eletroacupuntura (para os obesos yin)
• Laseracupuntura (para os obesos yang)

Quando falamos em obesidade, no entanto, muitas vezes nos esquecemos da enorme variedade de causas que podem levar uma pessoa ao excesso de peso. Do ponto de vista da acupuntura, conhecer essas causas pode ser fundamental para se tratar o problema.

Atualmente classificamos a obesidade em simples ou secundária. A maior parte dos obesos se enquadra no que chamamos de obesidade simples. Neles, a hiperfagia (comer em excesso) e o sedentarismo são os principais responsáveis pelo aumento de peso. Através da análise do tecido gorduroso, da idade e da evolução do ganho de peso podemos classificar a obesidade simples em constitucional ou nutricional.

A obesidade simples constitucional é também chamada de infantil por estar relacionada à proliferação de células adiposas no período que vai da 30ª semana de gestação até um ano e meio de idade, e é resultado de uma supernutrição nas primeiras fases de vida. Já a obesidade simples nutricional está relacionada ao excesso alimentar que extrapola o requerido pelo metabolismo; associado a pouca atividade física e/ou ao baixo consumo calórico. Um exemplo disso é a facilidade com que homens e mulheres de meia idade, fase onde os gastos calóricos tendem a se reduzir, tornam-se obesos. É só relaxarem um pouquinho que surge o excesso de peso.

A obesidade secundária, por outro lado, é aquela advinda de doenças específicas (obesidade hipotalâmica, obesidade pituitária, hiperinsulinismo, hipotireoidismo, síndrome de cushing, síndrome do ovário policístico, glândulas hipossexuais), de fatores genéticos ou do uso de medicamentos como corticóides e psicofármacos, em especial os antipsicóticos e alguns antidepressivos.

Além disso, a acupuntura estabelece uma série de síndromes relacionadas ao sobrepeso. Muitas pessoas podem apresentar sintomas e sinais de duas ou mais síndromes, o que consideramos como síndrome mista. É com base na determinação das síndromes envolvidas em cada caso que um especialista definirá as melhores técnicas a serem aplicadas em cada paciente. Pesquisas realizadas na China entre 1949 e 2004 sugerem que a acupuntura tem obtido melhores resultados no tratamento das obesidades simples quando se diferencia a síndrome relacionada ao paciente conforme abaixo demonstrado:

Síndrome: Calor excessivo no estômago e intestino grosso.
Sinais e sintomas: muita vontade de comer em intervalos curtos, frequente acidez, boca seca, fezes secas devido ao calor que consome os líquidos, língua vermelha com revestimento amarelo. Pulso rápido. Pessoa ativa.

Síndrome: Deficiência do baço e acúmulo de umidade.
Sinais e sintomas: Inchaços e acúmulo de líquidos (umidade), cansaço e peso nos membros, apetite insuficiente para justificar o ganho de peso, digestão lenta. Fezes pastosas, língua pálida e úmida. Pulso deslizante. Pessoa cansada.

Síndrome: Estagnação da energia do fígado.
Sinais e sintomas: peso, distensão e às vezes dor na região subcostal, apetite irregular, alteração constante do humor (raiva e depressão), ganho de peso na menopausa associada a variações emocionais. Lateral da língua vermelha e inchada, revestimento amarelo. Pulso em corda, tenso. Pessoa estressada.

Vale ressaltar que os métodos da Medicina Chinesa por si só não levam a emagrecimentos milagrosos. Sem a devida mudança de estilo de vida e a incorporação do binômio diminuição da ingestão (reeducação alimentar) e aumento da queima calórica (exercícios aeróbicos) o paciente dificilmente ficará livre do problema de forma definitiva. O essencial é percebermos como os métodos naturais de cuidados da saúde podem ser efetivamente incorporados em nosso dia a dia.

Paulo Noleto
Formado em Medicina Chinesa pela Beijing University of Chinese Medicine
Diretor da Faculdade INCISA
Membro diretor do VII Comitê Executivo da World Federation of Acupuncture – Moxibustion Societies.

Um Canal de Luz por Maria Silvia Orlovas: A lição do esquecimento

Um Canal de Luz por Maria Silvia Orlovas: A lição do esquecimento : ...