domingo, 30 de dezembro de 2012

O que é moxabustão?


O termo Moxabustão tem a sua origem em duas palavras: Mogusa ou Moxa que se refere a uma planta conhecida como mogwart ou Artemísia vulgaris e Bustão vem do latim que significa queima ou combustão.

Dessa forma, a Moxabustão é um método terapêutico externo, que utiliza determinadas substâncias e ervas de artemísia, com o objetivo de queimar, defumar ou aquecer a área ou pontos afetados. Sua origem remonta a China primitiva, relacionada ao uso do fogo, ao se observar que o uso do calor podia aliviar certas dores.

Assim sendo a técnica terapêutica de fogo, desbloqueia os pontos específicos do meridiano, permitindo que o Ki flua naturalmente através dos canais de energia, fazendo com que o "Ki doente" seja eliminado, dando espaço para o "Ki saudável", assim fortalecendo as capacidades curativas do corpo.

Qual é a origem da técnica?


De acordo com a história foram desenvolvidas no Norte da China técnicas que pudessem combater as doenças relacionadas ao frio intenso e ao desequilíbrio de Yin. Essas técnicas visavam o aquecimento de determinadas regiões e pontos através do calor. Sua evolução deu origem à Moxabustão.

Além disso, foi descoberto por cientistas japoneses que a radiação infravermelha da moxa é muito similar a radiação infravermelha do corpo humano. O resultado é que o calor da moxabustão penetra profundamente no corpo, dando um efeito de calor específico que permanece por dias após o tratamento.

Para quem é indicada?


A Moxa tem indicação nos casos de situações YIN, em padrões crônicos de deficiência, ou para doenças causadas por fatores externos. Tem as funções de aquecer os canais e colaterais de energia, ativar/regular a circulação de energia (Qi) e sangue (eliminando estagnações), eliminar o frio e a umidade e recuperar a energia Yang do organismo. Pode ainda ser utilizada para o fortalecimento da saúde, se aplicada com frequência sobre pontos de acupuntura específicos, fortalecendo o fator de resistência do corpo.

Quais são os tipos de Moxa existentes?


Existem dois tipos de aplicações: a Moxa Direta e a Moxa Indireta.

Moxa Direta: a moxa é queimada diretamente sobre pontos específicos, trazendo grande estimulação para o sistema imunológico e rapidamente obtendo uma reação de cura do corpo. Essas aplicações podem ser com contato, isto é, queimadas diretamente sobre a pele ou sobre a cabeça de uma agulha de acupuntura. Ou sem contato, queimada sobre uma fatia de gengibre ou um bálsamo.

A moxa queimada diretamente sobre a pele é considerada muito terapêutica, mas é pouco utilizada principalmente no ocidente, pois pode deixar marcas e cicatrizes de queimaduras e rupturas da pele.

Moxa Indireta: é a técnica mais popular, pois existem muito menos riscos de queimaduras e cicatrizes. Nessa técnica o terapeuta utiliza o Bastão de Moxa, que é a lã de moxa comprimida e enrolada em papel de arroz na forma de um 'charuto'. Quando o bastão é aceso, ele fica a uma certa distância da pele, logo não queimando-a, mas a vibração do calor da moxa é irradiado para o ponto a qual deve ser trabalhado. Juntamente com o paciente, o terapeuta monitora o nível de calor emanado, fazendo com que a experiência com a moxa seja o mais calorosa, relaxante e segura possível. O tratamento indireto é considerado uma ótima técnica para problemas relacionados ao frio e a energia Yin, e proporciona um alívio de dores e relaxamento.

INDICAÇÕES
  • Dores Abdominais;
  • Leucorréias;
  • Lombalgias;
  • Opressão toracoabdominal;
  • Tosse e asma;
  • Trato de debilidades orgânicas;
  • Problemas musculares e ósseos;
  • Certas formas de artrite e distúrbios nervosos.
CONTRA-INDICAÇÕES
  • Nos casos de doenças febris;
  • Pacientes desnutridos ou de constituição muito frágil;
  • Pacientes que comeram muito ou que estão embriagados;
  • Em locais do corpo sobre ou próximos a ferimentos e queimaduras. Não é recomendável nos pontos da região da cabeça e do coração, ao redor dos olhos, pescoço e nuca, bem como nas proximidades dos grandes vasos sanguíneos, mamilos e órgãos sexuais.
ESCLARECIMENTOS SOBRE O TRATAMENTO
Para que o tratamento de moxaterapia seja bem sucedido é necessário orientar o paciente para que ele, em parceria com o tratamento, obedeça às seguintes orientações:
  • Beber com moderação;
  • Evitar comida crua, gordurosa e o álcool;
  • Evitar situações de estresse.
TEMPO DE APLICAÇÃO
A quantidade normal para uma aplicação é tratar uma vez por semana, mas isso depende da situação do paciente.
Caso o objetivo seja um tratamento que vise apenas a manutenção da saúde, deve-se então efetuar uma aplicação a cada 15 ou 30 dias.
 

O que é a Ventosa?


A Ventosaterapia é utilizada no Oriente há centenas de anos e sua aplicação além de favorecer a limpeza corporal, atuando nas trocas gasosas do impuro para o puro, elimina a toxidade que afeta o organismo, regula o PH sangüíneo e traz um efeito reflexo quando aplicada nos pontos ou meridianos de Acupuntura. O tratamento por ventosa consiste em trazer as células doentes do sangue, do interior do corpo para a superfície, por fortes absorções, recuperando as células doentes. Com o vácuo e a absorção na superfície do corpo, que abrem os vasos capilares e os poros, as toxinas são retiradas, ocorrem troca de gases, oxigenação do sangue, e a circulação sanguínea é ativada. É basicamente uma técnica de sucção através de uma campânula de vidro que produz um vácuo de determinadas regiões do corpo.

Tipos de ventosas

- ventosa seca: deixa manchas ou hematomas de coloração vermelha, marrom, roxa ou até preta no paciente. Elas permanecem no local por uma ou duas semanas e não causam dor. Assim faz-se o diagnóstico da qualidade do sangue do indivíduo;

- ventosa molhada: promove a leve retirada de sangue antes de sua aplicação com equipamento específico. Ela acompanha o tratamento com sangria porque é necessário cauterizar evitando-se o surgimento de uma infecção;

- ventosa deslizante: evita o hematoma e obtém os benefícios da técnica. É um recurso interessante para os fisioterapeutas e massoterapeutas, pois quando associada com a massagem, usando-se um meio lubrificante, demonstra ótimos resultados para redução da gordura localizada e principalmente das celulites. A massagem é usada trazendo um extraordinário benefício de relaxamento físico-mental, além de tratar doenças. Oferece bem-estar ao indivíduo, mantendo a flexibilidade dos músculos e eliminando os nódulos de tensões.


O tratamento 100% alivia problemas de reumatismo e nevralgias; aumenta o nível de cálcio do sangue; ativa secreção hormonal; acelera digestão; acalma nervosismo e auxilia contra o stress. Ainda é bem sucedido na eliminação de dores, tensões e contraturas musculares. Melhora o aspecto de cicatrizes cirúrgicas; fortalecimento dos vasos sangüíneos, tornando a corrente sangüínea mais eficiente, evitando-se os infartos e derrames.

A ventosa ajuda a controlar a pressão arterial e a arteriosclerose. Problemas respiratórios como nos casos de bronquite, enfisema ou asma também são tratados com essa terapia. Pode-se utilizar a ventosa ainda para curar febre, tosse, gripes e resfriados, alergias, furúnculos e intoxicações. Deve-se usar ventosa para combater comprometimentos da circulação, cansaço, formigamentos, dormências nos membros superiores e inferiores, dores de cabeça e ondas de calor. Facilita as trocas gasosas e regula o pH sanguíneo, mantendo-o numa faixa de acidez ligeira entre 7,2 a 7,5, aumentando a vida média dos glóbulos vermelhos e limpando os que se encontram degenerados. Trata intoxicação por substâncias químicas, remédios, gases e elimina todas as toxinas. A ventosa pode ser aplicada por cima da agulha, puncionada na pele, ao mesmo tempo, aumentando o valor terapêutico uma da outra. Na Estética, a Ventosaterapia é muito utilizada como na redução de celulite e gordura localizada, através de ativação da circulação sanguínea e linfática, reduzindo a retenção de líquidos no organismo feminino.

Contra-indicações

O tratamento é contra-indicado em poucos casos: dermatites, psoríase, micoses, cortes e ferimentos recentes, insuficiência cardíaca de hipertensão do fogo, quadros viróticos e osteoporose.

Efeito colateral

A ventosa é excelente para tratar doenças de origens crônicas, isso porque se uma pessoa possui o metabolismo relativamente baixo, por exemplo, ela pode ter como causa um fator sangüíneo de excesso de acidez ou alcalinidade, e esse tratamento contribui eficientemente para que ocorra uma mudança na qualidade do sangue do indivíduo. Trata-se de um processo normal se ocorrer dos problemas parecerem piores após o tratamento, devido uma mudança da patologia que se transforma da fase crônica para aguda. Por isso deve-se fazer uma orientação prévia para o paciente não se assustar com a situação apresentada, mas o local tratado melhora efetivamente, acabando com o desequilíbrio em questão e as condições de saúde do indivíduo ficam ótimas.

Precauções importantes
 A ventosa associada com a acupuntura, moxabustão, alimentação natural, ou qualquer outra terapia favorece ainda mais o tratamento. Uma aplicação não deve ser realizada em tempo muito distante da outra para não se perder o efeito do tratamento. E não é necessário esperar desaparecer por completo a reação do primeiro tratamento. Para pacientes sem restrições, caso o objetivo seja um tratamento que vise apenas a manutenção da saúde, deve-se então efetuar uma aplicação a cada 15 ou 30 dias.

Conhecendo mais a Acupuntura

 
Na origem da Medicina Tradicional Chinesa está a crença de que o indivíduo (microcosmo) é visto como parte integrante das forças da natureza (em inglês) que é o macrocosmo. Pela observação cuidadosa da natureza, os sábios taoístas eram capazes de perceber os padrões comuns aos ambientes externo e interno do corpo humano. Durante milhares de anos, as observações cumulativas dos sábios de toda a China levaram a um sistema confuso de diagnóstico e cura.

A Medicina Tradicional Chinesa gira em torno da idéia de um estado constante de mudança, explicado através da teoria do yin e yang.
Desta maneira, o diagnóstico se desenvolve a partir de uma imagem geral para uma descrição dos processos fisiológicos individuais do paciente. Por exemplo, no diagnóstico dos órgãos, a deficiência do qi do baço é um padrão de desarmonia. Este é um diagnóstico muito específico. No diagnóstico de oito parâmetros, o mesmo desequilíbrio é geralmente classificado como uma condição interna deficiente.

A acupuntura baseia-se no fluxo de qi, ou energia vital, através de caminhos no corpo conhecidos como canais, ou meridianos. Doze meridianos regulares correspondem aos seis órgãos yin e aos seis órgãos yang – o meridiano do baço ao órgão baço, o meridiano do intestino grosso ao órgão intestino grosso, e assim por diante. Oito meridianos extras também são usados na terapia com acupuntura.
A desarmonia em um órgão geralmente se mostra em seu meridiano correspondente: uma pessoa que tem um ataque cardíaco também pode sentir dor e dormência que percorrem o braço até o mindinho, seguindo o caminho do meridiano do coração. Os acupunturistas apalpam um ponto diagnóstico no meridiano correspondente para avaliar a saúde do órgão relacionado. Em outros casos, os próprios meridianos são tratados.

Um profissional qualificado pode tratar uma dor no ombro aumentando o fluxo de qi e sangue através dos meridianos do intestino grosso, do pulmão e do triplo aquecedor. Os órgãos relacionados a esses meridianos podem estar completamente saudáveis; esses meridianos são escolhidos porque passam pela área lesada do ombro.
 
Embora sejam profundos, os meridianos possuem pontos específicos que podem ser acessados da superfície do corpo. Existem 361 pontos de acupuntura nos meridianos, assim como vários pontos “extraordinários” que podem ou não ser localizados em um canal normal. Além disso, um grupo completo de pontos nas orelhas representa todos os órgãos do corpo e pode ser usado para tratar uma grande variedade de enfermidades. O uso desses pontos é conhecido como auriculoterapia.

Um dos pontos mais importantes da acupuntura, o zusanli, é utilizado para tratar dor no estômago, vômito, indigestão, diarréia, constipação, tontura, cansaço e baixa imunidade. A penetração da agulha geralmente alivia a dor no estômago de imediato. Pesquisas modernas confirmaram que a aplicação de moxa ou agulhas nesse ponto realmente aumenta a contagem de leucócitos (que combatem os organismos causadores de doenças que invadem o corpo).
 
Os pontos da acupuntura podem ser estimulados por meio da pressão, calor ou penetração de agulha. Cada ponto possui um conjunto específico de funções. Algumas dessas funções têm efeitos locais, enquanto outras são sistêmicas (afetando os sistemas do corpo como um todo). Por exemplo, o meridiano do estômago consiste de 45 pontos, estendendo-se da cabeça aos dedos dos pés. Um ponto exatamente abaixo do joelho conhecido como dubi, ou estômago E 35, é usado quase exclusivamente para a dor no joelho (um efeito local), enquanto o ponto 7,5 cm abaixo dele, chamado de zusanli (estômago E36), possui uma função sistêmica energética.

acupuntura é praticada desde os tempos remotos com agulhas feitas de pedra, madeira, marfim ou osso. Os especialistas modernos utilizam agulhas de aço inoxidável de qualidade cirúrgica com um cabinho enrolado com arame para segurar melhor. Algumas agulhas são revestidas com prata, ouro ou cobre para se obter efeitos especiais do tratamento, como tonificação ou sedação, mas a maioria das agulhas é de aço puro.
 
Antigamente, as agulhas eram colocadas em autoclave, um dispositivo usado para esterilizar instrumentos cirúrgicos e odontológicos após cada uso. Entretanto, com o aumento da ocorrência de hepatite e AIDS/HIV, a maioria dos acupunturistas no ocidente usa agulhas descartáveis pré-esterilizadas para garantir segurança absoluta. As agulhas são utilizadas somente uma vez e, então, descartadas como lixo hospitalar.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) elaborou uma lista de doenças para as quais o tratamento com acupuntura é efetivo. Naturalmente, a acupuntura é especialmente conhecida por seu tratamento da dor; é tão eficaz que é usada como um substituto da anestesia em alguns procedimentos cirúrgicos nos hospitais chineses!

sábado, 29 de dezembro de 2012

Doenças de frio e calor



O reumatismo não é uma doença. Na verdade, o termo reumatismo, engloba um grupo de doenças, mais de cem, que afetam os ossos, as articulações e os músculos. Caracteriza-se por dores, muitas vezes fortes, e pela restrição dos movimentos.
Contrariamente ao que muitos pensam, o reumatismo não se cinge aos mais idosos, em boa verdade, ele atinge crianças, adolescentes, adultos e idosos.
A artrite, a fibromiálgia, e o lúpus, são formas de reumatismo que surgem com frequencia em crianças e jovens. Nas pessoas com mais idade, a forma de reumatismo mais comum é a que provoca deformações articulares nos dedos das mãos, joelhos, tornozelos, ombros, coluna vertebral enfim em todo o esqueleto, e chama-se artrose ou osteoartrite. Claro que muitos padecem também artrite reumatoide que já implica inflamação.
A medicina tradicional chinesa, divide as patologias em doenças de frio e de calor, e apresenta inumeras ervas para tratar estas doenças. Na verdade a acupuntura trata o reumatismo, auxilia-se com ervas e fórmulas chinesas, e consegue parar a evolução da doença equilibrando a imunidade do organismo, como consequencia dá-se a desinflamação da a articulação e promove-se a regeneração da cartilagem.
No mundo Ocidental ainda é dificil, acreditar na eficiência das medicinas alternativas inclusivé na acupuntura, mas em relação ao reumatismo, e por enquanto, a medicina convencional só aconsegue amenisar ou retardar os sintomas, à custa de medicamentos quimicos e em tomas crescentes até ao fim da vida. Com o tratamento com acupuntura o reumatismo deixa de  evoluir e a pessoa pode ter uma vida mais equilibrada e sem dores.

Sangue fraco pode levar a depressão


Para a Medicina Tradicional Chinesa, o sangue “aloja a mente”, isto é quer dizer que se tiver o sangue fraco as suas emoções estão frágeis, podendo culminar num quadro de depressão. As perturbações no sangue alteram as emoções.
As estatísticas dizem que existe um maior número de mulheres a sofrer de depressão que homens. Porque será?
Uma das respostas possíveis, transporta-as para o dia em que foram mães. Fala-se muito na depressão pós-parto, mas como pode esta acontecer? Na maioria dos casos, ter um bébe é uma benção, uma grande alegria porquê a depressão? Porquê toda esta emotividade, vontade de chorar, tristeza, insónia, agitaçao, ansiedade?
Em boa verdade, durante nove meses, o bébe alimentou-se do sangue da mãe, enfraquecendo-o…Muitas vezes a mulher com uma boa alimentação consegue curar-se espontaneamente outras vezes não, e se a quantidade dos constituintes do sangue são visiveis nas análises clínicas, a qualidade nem sempre o é, como resultado muitas pessoas sofrem de anemia e nem o sabem.
Na Medicina Tradicional Chinesa trata-se o sangue e na maioria dos casos a doença psicológica. O sangue é tratado ao nível da quantidade dos seus constituintes mas também a qualidade destes. É importante chegar à raíz, e na Medicina Chinesa a raíz do estado do sangue é a relação entre o fígado, o baço e o rim. Através da acupuntura , e algumas ervas consegue-se o equilibrio entre estes orgãos.
Não é por acaso que a sabedoria popular aconselha quem sofre de anemia, a comer fígado ou rim de animais, assim como carne de cavalo. A Medicina Chinesa vai mais longe e aconselha também a carne de javali e veado. Estas carnes potenciam o fabrico de mais e de melhor qualidade de sangue, podendo curar não só a anemia, não só a depressão mas também outras doenças psicológicas como a doença bipolar, esquizofrenia, enfim transtornos psicoemocionais, que se relacionem com alterações do sangue.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Qual a causa da regeneração do figado


Segredo guardado há mais de nove mil anos. O enigma ajuda no transplante do órgão. A mitologia grega já demonstrava o fenômeno. Hoje em dia, técnicas avançadas da medicina proporcionam que pessoas com doenças graves no fígado, possam transplantá-lo por um outro através de um doador morto em acidente, ou receber parte do órgão de um doador vivo. A segunda opção é possível por um milagre da natureza que faz com que o fígado se regenere, ou seja, volte ao tamanho normal, ou quase normal tanto no doador quanto no transplantado. Isto pareceria uma questão simples não fosse um detalhe até agora impossível de se responder pela ciência: Por que o fígado se regenera ? Prometeu A pergunta no entanto não é recente. Estudiosos da mitologia grega contam a lenda de Prometeu, um Titã, filho de Jápeto e Clímene, que ficou incumbido da criação dos homens, mas cometeu um pecado que enfureceu Zeus, divindade suprema do Olimpo. Roubou uma fagulha do fogo divino para dar vida aos homens. Zeus para castigá-lo enviou uma linda mensageira, Pandora, com uma caixa que, ao ser aberta, espalharia todos os males sobre a terra. Mas prometeu resistiu aos seus encantos e por isso Zeus o acorrentou a um penhasco e cortou parte de seu tórax expondo seu fígado, o qual era todos os dias devorado por uma águia, mas se reconstituía. A lenda tem calculadamente nove mil anos e a pergunta continua: Qual a causa da regeneração do fígado ? Resposta ao Enigma: Analisando as conclusões que obtivemos, descritas em nossa página sobre energia, verificamos que: - Através da Tabela Periódica dos Elementos, os elementos se agrupam através de números atômicos e de massa em diversas famílias. - Calculando-se a quantidade absoluta de energia destes elementos, quanto mais próximas as quantidades de energia de seus átomos, mais eles se assemelham, pertencendo a mesma família. - No caso de elementos orgânicos não difere a conclusão. - Analisando a quantidade absoluta de energia das células do fígado verificamos que possuem quantidade semelhante a das células vegetais. Conclusão final: - O fígado se regenera por ser da mesma família orgânica, em termos de energia absoluta, que os vegetais. - O órgão pode ser considerado um ex-vegetal. - Os vegetais possuem mais de setecentos milhões de anos e os homens apenas quatro milhões de anos sobre a terra. - Nós seres humanos portanto, somos ex-vegetais, o que concorda e prova plenamente com a Teoria da Evolução de Charles Darwin. Pontos a ser considerados: A bílis, líquido esverdeado, como os vegetais, é continuamente segregado pelas células hepáticas do figado. Alguns detalhes desta descoberta já estão descritos no livro: "A Origem Divina de Todas as Coisas", editora Thesaurus, Brasília - DF, autoria de William Fiel. Segundo os cientistas da Universidade de Sheffield (Reino Unido), vegetais e atmosfera evoluíram juntos. O estudo foi feito por uma equipe chefiada por David Beerling, sobre o surgimento das folhas ainda no período Devoniano, cujo trabalho foi publicado na revista Nature. Foi descoberta em plantas uma proteína responsável pela produção de calor em animais e identificada apenas nestes últimos até o ano de 2001. A proteína controla o amadurecimento dos frutos. A responsável pela descoberta é a equipe do médico Aníbal Versesi, da Universidade Estadual de Campinas. Foi sequenciado por cientistas do Instituto para a Pesquisa do Genoma e Departamento de Energia dos Estados Unidos, o genoma da bactéria Chlorobium, que vive em fontes vulcânicas na Nova Zelândia, onde forma placas verdes. Esta bactéria consegue gerar energia a partir da luz de uma forma semelhante a fotossíntese realizada pelas plantas. só que ao invés de dióxido de carbono, usa enxofre.

Terapia Holística nos equilibrando

Terapia Holística é o nome dado a qualquer terapia que siga os princípios do holismo. Ou seja: que aborda o problema a ser tratado como um todo, não através de uma visão fragmentada do real. A abordagem holística acredita que os elementos emocional, mental, espiritual e físico de cada pessoa formam um sistema, e objetiva tratar de toda a pessoa em seu contexto, concentrando-se tanto na causa da doença como dos sintomas[1]. A medicina chinesa com sua visão holística do homem consegue nos equilibrar no mundo tão louco como o de hoje. Utilizando uma metodologia simples de saber ouvir e ver, com uma entrevista inicial onde o paciente , me expõe todo o seu problema.Então parto para um levantamento de seu estado energético do momento, analisando o modo como me relatou, a forma como se apresenta sua pele, seus olhos, sua fala,a lingua, analiso sua pressão, e lhe faço muitas perguntas de sua rotina e seus hábitos. Só a partir de um conjunto de respostas relatados pelo paciente, parto para uma primeira analise de seu estado energético, Começa a colocação das agulhas, em primeiro lugar devo sedar alguns pontos de excesso de energia ( caso tenha) e tonificar alguns pontos com falta de energia de seus meridianos, que se apresentam em desequilíbrio, em seguida aplico a moxa aquecendo as agulhas aplicadas, e por último a massagem com o desbloqueio dos meridianos trabalhados, prá finalizar faço a auricular.Na maioria das vezes a resposta é imediata, isso me deixa feliz em continuar este trabalho tão gratificante!

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

A acupuntura curando a impotência sexual

A Medicina Tradicional Chinesa acredita que todo o nosso organismo se inter- relaciona e se auto influencía permanentemente, isto é um problema físico ou mental, não resulta apenas de um mau funcionamento de um meridiano, mas sim de vários. Assim para podermos tratar a impotência Sexual, precisamos colocar agulhas em pontos pertencentes a vários e diferentes meridianos para com isso tratar holísticamente o ser como um todo. O leque de opções de tratamento que temos na Acupunctura é grande, e o tratamento vai precisar de uma boa avaliação energética do paciente, detalhes do problema fazem a diferença na cura e no tempo de resposta das aplicações de cada consulta, portanto é importante que o paciente relate tudo, e confie no tratamento e no terapeuta, isso vai ajudar a resolver com mais rapidez. Os pontos mais importantes a serem estimulados neste tratamento são: VG 20; VC2; VC3; VC4; VC6; B23; E36; BP 6 BP9; R3;R10;F3; VB20. Uma boa massagem com a ajuda da moxa também vai ajudar muito. Recomendo também a ingestão de bastante liquido durante o tratamento, e com isso, tornar um hábito diário que só irá fazer bem. Pois a deficiência dos Rins é uma das pricipais causas da impotência.E um organismo que não é irrigado constantimente tende a consumir a energia vital ( a água ) do orgão que cuida da função erétil, que são os Rins.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Como funciona a acupuntura no organismo? Restaura nossa energia vital?

Existe o Fluido Universal, que permeia todo o Universo. Permite o equilíbrio entre os astros, dele emanam as forças magnéticas, a força da gravidade, a movimentação as marés. Presente em seres orgânicos e inorgânicos, mantém a estrutura das substâncias, a ordem molecular da água, as fases da Lua, seria uma forma mais bruta de energia, a partir da qual se originaria uma energia mais quintessenciada, presente nos seres vivos superiores, como os mamíferos e o homem. No Oriente, acredita-se no Qi (Chi), tipo de energia que permeia e nutre todos os fenômenos do mundo físico e extra-físico, uma vitalidade energética responsável por todas as manifestações de vida no Universo. No saber oriental, o Qi em movimento é a interação perpétua entre Yin e Yang. É um contínuo processo de transformação, o Qi pode então acumular, dispersar, expandir, condensar,etc. Pode se mover rápida ou lentamente, para dentro, para fora, para cima, para baixo, serpenteia, ou espirala. Os antigos consideravam que Qi era a energia básica que fazia a mediação entre o físico e o espiritual, e sendo fluida e onipresente, a consideravam o próprio ar, que ao ser respirado, determinava também o estado de espírito e o humor. O ideograma qi (”氣”) na sua forma tradicional mais conhecida é uma imagem do “vapor (气) subindo do arroz (米) enquanto cozinha”. Também tem sido traduzido como “ar”,”respiração”, ou a “respiração do céu”. A Medicina Tradicional Chinesa geralmente procura aliviar estes desequilíbrios ajustando a circulação do Qi no corpo empregando diversas técnicas terapêuticas, por exemplo: • a tratamentos com medicamentos a base de ervas • a alimentação baseada na Teoria dos Cinco Elementos • os treinamentos físicos como o qigong, o Tai Chi Chuan e outras artes marciais que incluem o conceito de Chi entre seus princípios filosóficos e o trabalham tanto para a autodefesa como para assegurar a saúde; • a massagem Tui Na como método efetivo para desfazer bloqueios e revigorar o paciente • Acupuntura, como método para redirecionar ou equilibrar o qi através de finas agulhas de metal inseridas na pele. Hoje temos certeza de como a saúde se modifica e melhora substancialmente com o respirar corretamente, manter-se na postura correta fornece vigor e disposição e que o exercício físico regular melhora muito a qualidade de vida. Também as práticas de meditação, melhoram a qualidade desta respiração, facultando uma melhor qualidade de sono e resistência física. Na prática das artes marciais também se desenvolve o Qi, no treinamento físico, para a expansão do auto-controle e auto-conhecimento, através das técnicas de combate, respiração adequada e posições meditativas. Os efeitos orgânicos que muitos atribuem à energia Qi, Energia ou Força Vital, são considerados pela medicina moderna, embora o conceito de Energia em si, não seja muito levado a sério. No entanto, mais e mais, as terapias holísticas e vitalistas estão se expandindo cada vez, como a Homeopatia, Acupuntura, Qigong, Cromoterapia, Reich, Massoterapia oriental,etc Na antiga Índia, os hindus já conheciam Prana, e energia que percorre chakras, formando o corpo extra-físico ou bioplasmático. Além da respiração correta, dos bons hábitos e alimentação adequada, exercícios físicos regulares, vida disciplinada, podemos modificar a qualidade de Qi pelo domínio da mente e da vontade, não permitindo retenção de pensamentos menos bons, emoções desequilibradas, pensamentos demasiadamente tristes. Sentimentos como a mágoa, raiva, tristeza excessiva, pensamentos de vingança e rancor, coagulam e desgastam a Energia Vital ou Qi. No contexto das artes marciais internas a existência do Qi normalmente não é questionada, e sim são desenvolvidos exercícios e técnicas visando a plena circulação e utilização no corpo e mente do praticante. Hoje, existem estudos dentro de um raciocínio científico sobre alguns parâmetros: poderosas técnicas de visualização; relaxamento absoluto, que pode afetar a maneira como os músculos funcionam; adequação da postura corporal; eficácia da respiração ampliada; efeitos sutis sobre o sistema nervoso; e também desenvolvimento da capacidade de afetar a mente do parceiro /adversário. Os resultados de tais estudos poderão trazer mais luz quanto à credibilidade da compreensão da Energia vital ou Qi. A acupuntura é uma fonte energetica poderosa, que faz com que esta energia vital flua! "Quando a agulha da acupuntura é inserida na pele, ela causa um estímulo que percorre via nervosas do corpo chegando até a medula óssea. Através da medula, a informação chega no cérebro, onde neurotransmissores se encarregam de emitir respostas que são transmitidas e agem em um determinado local do corpo," A sua aplicação de imediato produz uma substância chamada endorfina, A endorfina é um neurotransmissor, assim como a noradrenalina, a acetilcolina e a dopamina, é uma substância química utilizada pelos neurônios na comunicação do sistema nervoso. ENDORFINA é uma substância natural produzida pelo cérebro em resposta à atividade física, visando relaxar e preservar-nos da dor e que dá enorme prazer . Diferentemente de outras drogas, é produzida pelo próprio organismo e realmente dá prazer, despertando uma sensação de euforia,bem estar e é sinônimo de saúde. As endorfinas foram descobertas em 1975. Foram encontradas 20 tipos diferentes de endorfinas no sistema nervoso, sendo a beta-Endorfina a mais eficiente pois é a qual dá o efeito mais eufórico ao cérebro. Ela é composta por 31 aminoácidos. O que as Endorfinas fazem no nosso corpo? • Melhoram a memória; • Melhoram o estado de espírito (bom humor); • Aumentam a resistência; • Aumentam a disposição física e mental; • Melhoram o nosso sistema imunológico; • Bloqueiam as lesões dos vasos sanguíneos; • Têm efeito antienvelhecimento, pois removem superóxidos; • Aliviam as dores. A endorfina é conhecida mundialmente como um hormônio antiestresse e que alivia as dores naturalmente. Isso ocorre porque ela é secretada quando sentimos estresse ou dor, ou seja, ela bloqueia os sinais de dor que vão para o sistema nervoso. Isto tem sido um efeito que tem aliviado a dor e causado euforia. Infelizmente, as endorfinas não podem trabalhar por muito tempo pois existem enzimas no nosso corpo, chamadas endorfinases, que “mastigam” as endorfinas. A endorfina, que é o hormônio que tem o efeito mais positivo entre os hormônios produzidos no cérebro, torna vários órgãos mais saudáveis. Conforme esse hormônio é secretado e distribuído pelo corpo, ele o torna mais saudável. Em suma, Endorfina é o presente mais valioso que a natureza deu aos homens. E com um tratamento regular de acupuntura este hormônio é liberado e por consequência ficamos mais resistentes e saudáveis.Então vamos colocar agulha?

O Fígado na visão da Medicina Tradicional Chinesa (MTC)

* fígado metafísica sistemas excretores equilíbrio emocional Onde nasce o verdadeiro equilíbrio emocional: Na visão da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) o fígado, do ponto de vista energético, está estreitamente envolvido com a vesícula biliar (postura e decisões), mas também com os olhos (sentido da visão), ombros, joelhos e tendões (flexibilidade), unhas, seios e todo o aparelho reprodutor feminino. Na MTC se diz que o fígado é o órgão mais importante para a mulher, assim como o rim o é para o homem. Praticamente todo o sistema reprodutor feminino é regido pelo fígado, responsável por alterações no ciclo menstrual, presença de cistos de ovário, miomas uterinos, corrimentos ou prurido vaginais, alterações da libido como frigidez e impotência. O fígado é responsável por manter o livre fluxo da energia total do corpo. Como o movimento do sangue segue o movimento da energia, dizemos que o fígado direciona a circulação do sangue e regula também o ciclo menstrual. Mas seu papel mais importante, é sem dúvida, sobre o equilíbrio emocional. É o livre fluir da energia do fígado que vai nos permitir responder vitoriosamente aos desafios da vida, aos estímulos emocionais e afetivos, 24 horas por dia, cada segundo de nossa vida, sem parar. Daí começa a responsabilidade e respeito que devemos ter pelo nosso fígado e sistema hepático. E, já podemos deduzir sobre o desgaste intenso ao qual este sistema é submetido no cotidiano da vida moderna. Pouco se sabe sobre sua importância e como auxiliar, ser cúmplice, do fígado nesta missão existencial: equilíbrio emocional e afetivo. Visão, flexibilidade, postura e decisões. Pelo contrário, só pela má alimentação e sedentarismo, a cultura ocidental faz de tudo para fragilizar o sistema hepático. Os maus hábitos alimentares e de vida levam ao seu desequilíbrio funcional, que leva ao desequilíbrio emocional, que desencadeia mais maus hábitos alimentares e de vida. Este desequilíbrio energético pode se manifestar de várias formas. Dependendo da sua localização: insônia, enxaqueca, hipertensão, problemas digestivos, TPM, etc. Os problemas ligados ao fígado podem ser por falta ou por excesso de energia circulante. Um bom exemplo de excesso é a raiva, mais exatamente a raiva reprimida e, num quadro de vazio energético, temos a procrastinação e o medo paralisante ou síndrome de pânico. A estagnação do fluxo de energia do fígado freqüentemente desequilibra o emocional, produzindo sentimentos de frustração e ira. Essas mesmas emoções podem levar a uma disfunção no fígado, resultando em um ciclo interminável de causa e efeito. Como todas as emoções, boas ou más, passam pelo fígado, não devemos reprimi-las infinitamente. A repressão das emoções provoca um bloqueio da energia que leva ao excesso de calor no fígado. Cabe uma distinção entre sentimento e emoção. Os sentimentos geralmente fortalecem os órgãos e servem como mecanismos de defesa para o organismo. Uma certa irritação que nos leva a reagir diante de um ataque ou quando nos sentimos lesados, é diferente da raiva que é cega e destrutiva. Os olhos são a manifestação externa do fígado. Em outras palavras, o fígado rege o sentido da visão. Assim, patologias da visão irão sinalizar alguma alteração no fígado. As mais comuns são: conjuntivites, olhos vermelhos sem processo inflamatório, coceiras, "vista" seca, visão fraca, embaçada ou borrada, terçol, pontos brilhantes que aparecem no campo visual e outros. A lágrima é a secreção interna que ajuda a aliviar o fígado. Cuidado com olhos secos. Daí vem a importância do exercício de "piscar os olhos" (sempre - não esquecer) e de não reprimir o choro, embora nem sempre seja conveniente socialmente. Mas, acredite, conter o choro faz mal à saúde. Ah! Uma forma divertida de chorar/lacrimejar é deixando o riso fluir, acontecer no seu dia-a-dia, na sua vida. As unhas são outra manifestação externa das condições do fígado, e as suas deformidades ou a presença de micose sugerem algum comprometimento do fígado ou desequilíbrio prolongado da sua energia. O fígado rege as articulações do ombro e joelhos e também os tendões de modo geral. Assim sendo, as bursites e dores nos joelhos sem causa aparente, são sinais de comprometimento da energia do fígado. As tendinites e os estiramentos freqüentes também estão neste quadro. Todo órgão está associado a uma víscera que, no caso do fígado, é a vesícula biliar. Resumidamente, a vesícula atua mantendo o equilíbrio postural. Todos os quadros de tonturas, vertigens, labirintites estão ligados a ela. Rege a articulação tempero mandibular (ATM). Todas as tensões que ficam retidas no fígado podem ser descarregadas nesta região e produzir o bruxismo, que é um quadro de ranger os dentes, que se manifesta mais freqüentemente durante o sono. Metafisicamente a vesícula biliar comanda a capacidade de tomarmos decisões assertivas. Uma vesícula desequilibrada se manifestará na forma de indecisões ou mesmo desorientações, perda de rumo. E, para resumir e partir o mais rápido para a ação de cumplicidade "de bem com o fígado": - desintoxicar-se diariamente com o aumento do consumo dos alimentos de origem vegetal, maduros, crus, idealmente orgânicos e integrais; - desintoxicar-se diariamente praticando a terapia do riso, as brincadeiras, as artes, o lazer; - praticar atividade física moderada diariamente. Vocês não têm noção de como este hábito é vital para o livre fluxo de energia do fígado; - os sabores ácido e amargo, assim como os alimentos de cor verde são os maiores aliados do fígado. Entretanto, na primavera, evite exagerar nos sabores ácidos e picantes. - evitar intoxicar-se com alimentos muito gordurosos (pela qualidade, gordura animal e óleos refinados, como pela quantidade), frituras, açúcar, café e álcool; - evitar vida sedentária e estressante, o mau humor, ilusões e grandes expectativas

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Em Medicina Chinesa, insónia pode significar: dificuldade em adormecer, acordar várias vezes à noite e adormecer novamente, acordar várias vezes à noite e apresentar dificuldade em adormecer, acordar cedo de mais e não dormir, sono inquieto ou, pura e simplesmente, não conseguir dormir. Alguns autores não fazem uma descrição tão pormenorizada da insónia. De acordo com o que está expresso na obra Practical Diagnosis in Tradicional Chinese Medicine de Tietao Deng, vem expresso no Ling Shu: Kou Wen Pian: “Na terminação do yang qi, o yin qi é exuberante. Isto resulta no encerramento dos olhos. Na terminação do yin qi, o yang qi encontra-se exuberante. Isto resulta em acordar.” Uma vez que o yang governa a vigília e o yin governa o sono, considera-se que a existência da insónia se deve a um aumento do yang e a uma diminuição do yin. Umas linhas mais à frente o autor cita Lei Zheng Zhi Cai: Bu Mei Lun Zhi: “quando o movimento do yang qi é calmo, então existe sono; quando a imobilidade do yin qi se move, então a pessoa mantêm-se acordada. Quando existe insónia, a doença deve-se à não interacção do yang com o yin.” O que aqui foi transcrito está em relação com o que se ensina na cadeira de Teoria Básica e Acupunctura Clínica, relativamente aos meridianos maravilhosos. De acordo com esta teoria o meridiano maravilhoso Yang Qiao Mai leva a energia yang para os olhos e o Yin Qiao Mai leva a energia yin para os olhos. Por isso se pode usar a combinação 62B, 6R e 1B no tratamento da insónia. O ponto 62B é o ponto de abertura do meridiano Yang Qiao Mai e o 6R é o ponto de abertura do meridiano Yin Qiao Mai. O ponto 1B é um ponto que pertence a estes 2 meridianos maravilhosos. Em casos de insónia (o yin não chega aos olhos) dispersa-se o yang (62B) e tonifica-se o yin (6R) e em casos de sonolência (quando a energia yang não chega aos olhos) tonifica-se o yang (62B) e dispersa-se o yin (6R). Além do yin e o yang os padrões de sono também se devem compreender enquadrados na teoria dos 5 elementos, pois existem órgãos importantes relacionados. O coração governa o espírito, a vesícula biliar é responsável pela nossa capacidade de tomar decisões, o fígado relaciona-se com o sangue e hun, o rim com a essência (logo com o cérebro – ver texto sobre vísceras especiais). Uma vez que o coração é considerado o imperador dos órgãos considera-se que a sua relação com o sono é a mais importante. Uma outra citação dos clássicos é mostrada mais à frente, nomeadamente do Zhang Jin Yue: “Apesar de não existir uma doença que cause a insónia, é governada pelo espírito. Quando o espírito é calmo, existe sono; quando o espírito está agitado, então existe insónia. O espírito fica agitado devido à agressão do qi patológico (evil) ou pela construção deficiente do qi. Quando existe patologia (evil), existe, geralmente, um padrão de excesso (repletion). Quando não existe excesso (repletion) então existe um padrão de vazio.” Outras obras apresentam, igualmente, estudos dos clássicos. Por exemplo, Giovanni Maciocia, na sua obra A Práctica da Medicina Chinesa (tradução brasileira) refere o capítulo 46 do clássico Simple Questions:< “Quando um indivíduo deita e não consegue dormir [isto significa] que os órgãos yin estão prejudicados, [então] a essência não tem residência e não é sossegada, e o indivíduo não consegue dormir”. O autor continua citando desta vez Tang Zong Hai: “À noite, durante o sono, a Alma Etérea retorna ao Fígado: se a Alma Etérea não estiver em paz, ocorrem muitos sonhos.” Esta citação parece estar de acordo com o que vários autores dizem relativamente ao sono repousante ou à presença de sonhos mas não nos pode informar muito sobre as características da insónia que queremos analisar. De qualquer forma chama-nos a atenção para uma característica particular que poderá ser útil na análise posterior da diferenciação de padrões clínicos. De acordo com Maciocia dificuldade em adormecer é característico do vazio de sangue e acordar durante a noite, característico de vazio de yin. Acordar cedo demais indica deficiência do coração e vesícula biliar. No entanto parecem existir algumas diferenças nas análises de diferentes autores. Um dos problemas está sem dúvida na tradução, uma vez que uma coisa é o que uma pessoa entende de um clássico. Outra pessoa pode ter opiniões diferentes. Por outro lado os nossos livros já são traduções feitas para inglês e algumas para brasileiro (estas sendo as piores traduções que se podem encontrar). Na diferenciação abaixo passamos por analisar a obra de tietao deng e depois analisamos a obra de Giovanni Maciocia assim como outros autores. Os sintomas serão então comparados. DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DOS PADRÕES CLÍNICOS EM MEDICINA CHINESA PADRÕES CLÍNICOS DE EXCESSO Calor no padrão de construção Tietao Deng: A insónia manifesta-se como dificuldade em adormecer, acordar facilmente após adormecer, ou sono agitado, acompanhada de sintomas de calor como calor no corpo em particular à noite. Maciocia (este padrão está traduzido como calor residual no diafragma): sono agitado, acordar durante a noite, agitação mental, não se conseguir deitar ou sentar, sensação de plenitude no tórax, desconforto epigástrico e regurgitação ácida, língua vermelha, pulso profundo e rápido. Estagnação de qi do Fígado com produção de calor Zhixian: dificuldade em adormecer, incapacidade em dormir, sonhos intensos, irritabilidade e susceptibilidade a acessos de raiva, sabor amargo na boca, olhos vermelhos e congestionados, obstipação, urina escura, língua vermelha com capa amarela e pulso rápido e tenso. Desarmonia do qi do estômago Dificuldade em adormecer à noite, que costuma ocorrer após comer uma refeição muito pesada. Outros sintomas como dilatação abdominal, eructações, gastralgia que agrava após as refeições e com palpação ou distensão abdominal. Estagnação de qi e mucosidades da vesícula biliar Dificuldade em adormecer, acorda facilmente após adormecer e tem dificuldade em voltar a dormir ou acorda frequentemente com medo. Tonturas, agitação, irritabilidade, palpitações desencadeadas por medo, sabor amargo na boca, pulso deslizante e língua vermelha com capa amarela. Mucosidade-calor Tietao Deng: Dificuldade em adormecer, pesadelos, acorda frequentemente com medo dos sonhos, dificuldade em dormir de todo em casos mais graves. Irritabilidade, agitação, discurso incoerente, choro anormal, delírios, riso descontrolado, obstipação, urina escura, língua vermelha com capa amarela e pegajosa, pulso deslizante, em corda, rápido e cheio. Maciocia: sono agitado, debater-se durante o sono, sonhos desagradáveis, sensação de peso, tonturas, sensação de opressão torácica, náuseas, ausência de apetite, palpitações, agitação mental, sabor gorduroso na boca, língua vermelha com capa amarela e pegajosa, acompanhada de rachadura no estômago, pulso deslizante e rápido. Zhixian: dificuldade em adormecer, incapacidade em dormir de todo, desencadeado por dieta imprópria, sensação de peso na cabeça, expectoração abundante, perda de apetite, eructações, tonturas, pulso deslizante e rápido. Plenitude Calor do Fígado Tietao Deng: Insónia, sono não repousante, pesadelos. Cefaleia e sensação de distensão na cabeça, tonturas, olhos vermelhos, zumbidos, indiferente às consequências da suas acções, impaciente, irritabilidade ou com acessos de raiva, dor no hipocôndrio, obstipação, urina escura, língua vermelha com capa amarela, pulso rápido e em corda. Maciocia: sono agitado, sonhos desagradáveis, pesadelos, sonhos com incêndios, irritabilidade, sabor amargo na boca, cefaleia, sede, urina escura, fezes secas, tonturas, língua vermelha com capa amarela e seca, pulso em corda e rápido. Plenitude Calor no Coração Tietao Deng: Dificuldade em adormecer à noite ou acordar facilmente após adormecer com dificuldade em voltar a dormir. Palpitações, aceleração do ritmo cardíaco, agitação, irritabilidade, mania, discurso incoerente e incapaz de medir as consequências dos seus actos, face vermelha, língua com ponta vermelha e possivelmente aftas muito dolorosas na boca e língua. Maciocia: acorda durante a noite, pesadelos, sonhos com voos, agitação mental, sabor amargo, sede, úlceras na língua e palpitações, língua vermelha com ponta mais vermelha e pontos vermelhos e capa amarela, pulso rápido e flutuante na posição frontal esquerda. PADRÕES CLÍNICOS DE VAZIO Vazio de sangue do coração Tietao Deng: Insónia é caracterizada por sonhos frequentes e sono não repousante. Palpitações, perda de memória, língua fina, pálida e pulso fraco. Vazio de sangue do fígado Tietao Deng: A insónia caracteriza-se por sonhos frequentes e acordar facilmente após adormecer com medo. Olhos secos, visão nublada, sensação de areia nos olhos, unhas pálidas, face pálida e pele seca, tonturas, lábios pálidos, língua pálida e pulso fraco e fino. Deficiência da essência do rim Tietao Deng: Insónia caracterizada por sonhos frequentes, acordar facilmente após adormecer e sono não repousante. Face pálida e pele seca, queda de cabelo prematura, cabelhos brancos ou grisalhos em idade prematura, dentes soltos e perda anormal de dentes, debilidade da zona lombar e dos membros inferiores, astenia, apatia. Vazio de yin Tietao Deng: Insónia caracterizada por sonhos frequentes que duram a noite toda, pode nem dormir nada em casos severos, agitação cardíaca mais severa à noite. Agitação, emissões seminais, palpitações, sudação nocturna, debilidade dos membros inferiores, tonturas, calor nos 5 corações, língua vermelha e seca, pulso rápido e fino Maciocia (vazio de yin do coração): acordar muitas vezes à noite, garganta seca, agitação mental, palpitações, sudação nocturna, memória fraca e calor na palma das mãos, língua vermelha sem capa, pulso flutuante e vazio. Maciocia (vazio de yin do fígado): acorda durante a noite, sonhos abundantes, fala durante o sono, sonambulismo em casos severos, irritabilidade, garganta seca, visão nublada, sensação de calor, dor ocular e olhos secos, pele e cabelos secos, tonturas, língua vermelha sem capa, pulso flutuante e vazio, especialmente do lado esquerdo. Zhixian (subida de yang por vazio de yin): agitação, insónia, dificuldade em adormecer, sensação de calor no peito, agitação, palpitações, zumbidos, tonturas, amnésia, fraqueza da zona lombar e joelhos, boca seca, emissões nocturnas. Deficiência do coração e vesícula por timidez Tietao Deng: Dificuldade em adormecer à noite, pesadelos, acorda facilmente com medo, ocorre após a pessoa sentir grande medo ou após um distúrbio na essência-mente (spirit). Palpitações desencadeadas pelo susto ou medo, timidez, agitação mental, sem fome ou sede, língua pálida. É mais comum em mulheres do que em homens. Maciocia: acordar muito cedo sendo incapaz de adormecer novamente, sono leve, grande quantidade de sonhos, propensão a se assustar com muita facilidade, perda de iniciativa e positividade, timidez, palpitações, dispneia e astenia, língua pálida com rachadura no coração, pulso vazio. Zhixian: insónia, facilidade em acordar após adormecer, sonhos intensos, timidez, assusta-se facilmente, astenia, palpitações, sudação espontânea, respiração curta. Deficiência do coração e baço Tietao Deng: Insónia caracterizada por sonhos frequentes e facilidade em acordar após adormecer. Palpitações, perda de memória, face amarela, perda de apetite, astenia. Maciocia: este padrão é descrito como vazio de sangue do coração e baço. Isto permite confusão entre o vazio de sangue do coração ou a deficiência conjunta destes 2 órgãos. Uma vez que se dá atenção à deficiência conjunta dos 2 órgãos decidi colocar este quadros em comparação com o descrito por Tietao Deng. Os sintomas são: dificuldade em adormecer, palpitações, astenia, pouco apetite, ansiedade moderada, visão nublada, tonturas, memória fraca, «face pálida, língua pálida. Zhixian: sonhos intensos, facilidade em acordar após aodrmecer, sono leve, amnésia, palpitações, tonturas, perda de apetite, palidez, astenia. Rim e Coração não comunicam Tietao Deng: Insónia com palpitações, tonturas, perda de memória, zumbidos e lombalgia ou fraqueza da região lombar. Boca e garganta secas, febre vespertina, emissões nocturnas durante os sonhos, sudação nocturna, língua vermelho púrpura ou aversão ao frio, região lombar e membros inferiores frios, língua pálida. Maciocia: acordar muitas vezes durante a noite, dificuldade em adormecer, garganta seca, sudação nocturna, palmas das mãos quentes, memória fraca, palpitações, tonturas, agitação mental, zumbidos e dor nas costas. Considerações finais Devemos dar atenção a problemas de tradução ou erros de análise expostas na obra de Maciocia. Por exemplo, na página 297, quando fala sobre o padrão da deficiência de sangue do coração e do Baço/Pâncreas, refere: “Este é um tipo muito comum de insónia, proveniente de Deficiência de Sangue. Uma vez que o Sangue é deficiente, o indivíduo não consegue adormecer com facilidade, porém uma vez adormecido, pelo facto do yin ser insuficiente, não acorda” No entanto, na página 290, ele afirma: “Dificuldade em adormecer, geralmente indica deficiência de sangue, enquanto adormecer com facilidade mas acordar muitas vezes durante a noite, denota deficiência de yin.” Estas 2 afirmações contrapõem-se. Numa afirma-se que a deficiência de yin gera insónia caracterizada por acordar após adormecer e na outra afirma-se que a deficiência de yin não provoca esse mesmo sintoma. Este problema de tradução pode ser de menor importância, uma vez que ao estudarmos a fitoterapia de Maciocia, torna-se evidente a defesa de que no vazio de sangue existe, geralmente, dificuldade em adormecer e no vazio de yin incapacidade de manter um sono continuo. Por outro lado também devemos dar atenção à análise dos sintomas expostos no último padrão clínico. Tietao Deng faz a variação de sintomas consoante exista um vazio de yang do rim ou um vazio de yin do rim. No entanto, Maciocia, só refere sintomas de vazio de yin. Curiosamente as características clínicas da insónia são: (1) dificuldade em adormecer e/ou (2) acordar várias vezes à noite. Se por um lado parece existirem contradições evidentes, por outro, Maciocia, parece que engloba os sintomas de vazio de sangue e vazio de yin no mesmo quadro quando são os sintomas de vazio de yin predominantes. Mais uma vez temos o problema das traduções brasileiras uma vez que em determinados casos o vazio de yin se pode confundir com o vazio de sangue. Curiosamente, Maciocia refere o mesmo argumento que a Joana mas invertido. Ao analisar Zhixian o problema condensa-se. Quando estudamos os sintomas dos padrões apresentados facilmente se destaca a semelhança que existe entre a Subida de Yang devido a vazio de yin descrita por Zhixian com o padrão de rim e coração não comunicante descritos por Maciocia e Tietao Deng. No entanto, o padrão de vazio de yin de Maciocia apresenta características da insónia distintas das apresentadas por Zhixian. Quando comparamos as características próprias da insónia, entre os diferentes autores, chegamos à conclusão que é impossível tirar alguma conclusão universal. Em determinados padrões, os autores estão de acordo, noutros não. Talvez o mais prático seja fazer como Ganglin Yin parece ter feito. Dar mais atenção aos sintomas desencadeantes e acompanhantes da insónia do que à sua caracterização, propriamente dita. Uma vez que não consegui encontrar a resposta satisfatória que pretendia, deixo ao leitor a adição de comentários e de estudos de fontes bibliográficas ou da análise da vossa prática clínica de forma a tentar chegar onde não consegui. BIBLIOGRAFIA DENG, Tietao; Practical Diagnosis in Tradicional Chinesa Medicine; ed. Churchill Livingstone, ISBN 0 443 04582 8; 1ª edição 1999, Londres.

domingo, 2 de setembro de 2012

Acupuntura seria Placebo?

O reconhecimento da eficácia da acupuntura não depende da demonstração empírica de seus resultados. Problemas metodológicos e conceituais dificultam o estabelecimento de seu valor terapêutico, com base na ciência ocidental moderna. Por outro lado, o crescimento da demanda e da oferta de terapias alternativas (entre elas a acupuntura) implica uma certa legitimação, que depende mais do reconhecimento da utilidade dessas práticas, do que da demonstração de sua cientificidade. A crise da "medicina científica' e de seu paradigma mecanicista pode ser um dos fatores responsáveis pela maior aceitação da acupuntura no Ocidente. Se isto é verdade, os estudos científicos sobre acupuntura serão de pouca utilidade, enquanto persistirem em negar a possibilidade de uma medicina que tem a sua lógica própria, diferente daquela da ciência ocidental. Talvez a maior colaboração que o Oriente possa trazer à medicina ocidental não esteja na sua técnica, mas no seu saber. No entanto, é apenas através da compreensão da cultura e da civilização chinesas, da aceitação de que Yin e Yang se organizam em um sistema coerente, que o saber tradicional pode ser realmente apreendido. O APELO À DEMONSTRAÇÃO EMPÍRICA DO SUCESSO DO MÉTODO O relato de curas, muitas vezes espetaculares, com o uso da acupuntura, tem sido recurso freqüente. O sucesso da anestesia com acupuntura, em diferentes cirurgias, tem produzido um grande impacto no ocidente desde a década de 70; os casos observados por Bland foram, nas suas próprias palavras, "suficientes para provar o valor da acupuntura como tratamento e como anestésico." (Bland, 1979), Verifica-se, no entanto, que a demonstração empírica dos resultados obtidos com a acupuntura, por si só, tem se mostrado insuficiente para o reconhecimento da sua eficácia terapêutica, pois tais resultados são interpretados pelos céticos como embuste ou, na melhor das hipóteses, como conseqüência de pura sugestão; segundo estes, as agulhas agiriam, no máximo, como placebo. A preocupação de mostrar que os resultados obtidos com a acupuntura não se devem a sugestão está presente no discurso de Huan Xiang Ming (vice-diretor do Instituto de Pesquisa Médica Chinesa, em Xangai), em um seminário patrocinado pela OMS na China, em 1979 (ver: A Saúde do Mundo 12/79): "o êxito da anestesia por acupuntura e a cura da disenteria bacilar pela acupuntura abalaram a opinião de que o efeito desse procedimento não passa de uma ilusão psicológica' (Huan Xiang Ming, 1979), ou, nas palavras de Bland: "... mas se a função anestésica da acupuntura é 'puramente mental' (aspas no original), como explicar que as agulhas parecem ser igualmente eficientes na veterinária?" (Bland, 1979), Se a crescente aceitação da acupuntura, no ocidente, está relacionada à crise da medicina científica; se, em conseqüência do alto custo da medicina tecnológica, é preciso referendar práticas não totalmente legitimadas pela ciência médica, com o argumento de que são úteis, mais simples e mais baratas (2); se a procura de terapias em princípio 'mais brandas' pode ser vista como resposta à agressividade da intervenção médica tecnologizada; se a procura por uma medicina, cujos princípios são considerados 'mais holísticos' (Capra), pode significar uma reação à segmentação do olhar da ciência médica (explicitado pela profusão de especialidades e subespecialidades), ou mesmo à desumanização da prática médica hospitalar; então a questão que se coloca não é mais a da investigação dos mecanismos de ação da acupuntura, mas a investigação de seus princípios, de sua lógica, de seus paradigmas. A INTEGRAÇÃO DOS DOIS SISTEMAS NO OCIDENTE A acupuntura é apenas uma das técnicas terapêuticas que compõem um conjunto de saberes e procedimentos culturalmente constituídos, e dos quais não pode ser dissociada. Além das agulhas, a medicina tradicional utiliza ervas, massagens, exercícios físicos, dietas alimentares, e prescreve normas higiênicas de conduta. Sua lógica é a mesma que orientou toda a vida social da China, no período em que foi desenvolvida: o calendário agrícola, as festas coletivas, os princípios de comportamento social, as regras de etiqueta no trato com as autoridades, a religião, a música, a arquitetura... Os princípios teóricos a partir dos quais as doenças são entendidas, classificadas e tratadas são os mesmos que servem para entender, classificar e lidar com as coisas do mundo', a natureza, o espaço e o tempo. (A este respeito ver: Granet, 1968). Pretender que a eficácia de um saber que, segundo Cai Jing Feng, "tem controlado as maiores epidemias de doenças infecciosas na história da China", deva-se a que a introdução de agulhas, em determinados pontos, tenha como conseqüência a liberação de mediadores bioquímicos que interferem no fenômeno da dor; e que o sucesso obtido pelos chineses com a acupuntura durante dois mil e quinhentos anos de desenvolvimento seja fruto apenas da acumulação de observações empíricas, é fechar os olhos ao saber tradicional, é descaracterizá-lo, é optar por uma 'cegueira etnocêntrica'.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

TRATANDO DOR CEVICAL COM ACUPUNTURA

A coluna cervical se localiza no pescoço entre a parte inferior do crânio e a superior do tronco no nível dos ombros, é composta de sete ossos sobre-postos que são as vértebras. Estas estão unidas por estruturas chamadas ligamentos, músculos e por elementos que preenchem o espaço entre elas são os discos intervertebrais No interior da coluna cervical encontramos o canal vertebral por onde passa a medula espinhal, que comanda todos os nossos movimentos e sensações, ela é o nosso elemento de ligação corporal com o meio ambiente. Nesta região a medula emite 8 raízes nervosas que se ramificam para a cabeça, pescoço, membros superiores, ombros e parte ântero-superior do tórax. A região cervical é dotada de grande mobilidade permitindo movimentos de 130° na flexão e extensão, rotação de 81° para cada lado e inclinação de 45º sobre os ombros. Devido a esta mesma mobilidade a coluna cervical sofre mecanicamente pelos esforços que é submetida no trabalho e na vida diária A dor cervical chama-se cervicalgia e quando ela se irradia pelo membro superior (braço, antebraço e mão) recebe o nome de cervicobraquialgia. Como a dor é uma experiência subjetiva da atividade cerebral em resposta a uma lesão dos tecidos corporais, ela pode ter origem em diferentes causas. Mas basicamente estas lesões, liberam várias substâncias no local e na corrente sanguinea que chamamos de substâncias nociceptivas (provocam sensação de dor). Estas são captadas pelos nervos sensitivos (nociceptores) que levarão a sensação de dor ao cérebro. As cervicalgias e as cervicobraquialgias podem surgir por diversas causas como traumáticas, alterações mecânicas, doenças degenerativas, infecções, tumores, doenças glandulares (endócrinas e metabólicas), doenças neurológicas, psiquiátricas e dor referida (cuja causa não se localiza na coluna cervical) São dores causadas por carga exessiva ou prolongada sobre a coluna cervical. Normalmente ocorre nos ambientes de trabalho onde as pessoas suportam por longos tempos o peso de sua própria cabeça em posição de flexão e extensão (escriturários, costureiras, mecânicos, eletricista e outros) ou carregando peso sobre a cabeça como estivadores. Estas profissões produzem fadiga muscular, espasmo prolongado e atrofia dos músculos por circulação sanguínea insuficiente e dor O tratamento com acumpuntura visa descobrir a causa e aliviar a dor. Podemos tratar estas dores com a acupuntura, moxa, massagem e até ventosa, e o alivio é de imediato.! O tratamento complementar é feito também com uso de travesseiro adequado, medidas corretivas de postura na vida diária e chás . Os medicamentos mais usados são os analgésicos, anti-inflamatórios hormonais ou não hormonais, relaxantes musculares, psicofármacos. Mas vele lembrar que tenho experiência em tratar da cevical só com a terapia chinesa e obter a cura, claro que não sendo algo mais grave como um tumor.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Acupuntura e RPG Tratando de Hérnia de Disco

A hérnia de disco caracteriza-se pelo deslocamento do núcleo pulposo (parte central, arredondada e de consistência gelatinosa) do interior do disco intervertebral (fibrocartilaginoso) em direção ao canal raquidiano ou ósseo, mediante a ruptura de sua parte mais externa constituída de anel fibroso (que mantém o núcleo pulposo no interior do disco), resultando num quadro clínico neurológico de compressão das raízes nervosas ou raquidianas localizadas nesse nível. A manifestação da hérnia de disco é mais comum nos homens do que nas mulheres e na fase da degeneração discal, que ocorre entre os 30 e 50 anos de idade. Embora seja mais frequente na região lombar, a hérnia discal pode ocorrer também na região cervical e torácica; suas manifestações clínicas mais comuns são: lombalgia (sendo a hérnia de disco a causa mais frequente de todas as lombalgias), lombociatalgia (associação de dores lombares com uma nevralgia ciática) e síndrome da cauda equina (que parece ser a única situação de urgência cirúrgica no combate da hérnia de disco). O extenso nervo ciático, o qual se origina no plexo sacral, é o mais volumoso nervo do corpo humano, formado por várias raízes nervosas responsáveis pela inervação dos membros inferiores, estimulam os músculos e uma parte das regiões articulares dos membros inferiores, favorecendo a sensibilidade das coxas, pernas e pés. Na hérnia de disco, tal nervo pode ser afetado. A dor se irradia na direção dos membros inferiores. O percurso da dor dependerá das raízes nervosas comprometidas. A expressão “ciática” refere-se à dor persistente percebida ao longo do nervo ciático, que se inicia na parte inferior das costas e se irradia para as nádegas e pernas (tornozelos e, eventualmente, pés); é uma decorrência do comprometimento das raízes do nervo ciático. Os sintomas e sinais da hérnia discal são bastante variáveis e se alteram de pessoa para pessoa, de caso para caso; incluem: manifestação de dor (depende da região da coluna afetada e das raízes nervosas comprometidas); comprometimento do reflexo (patelar e Aquiles) e da marcha; diminuição da força muscular do membro inferior afetado (por comprometer a porção motora do nervo); e alterações da sensibilidade (parestesias, cãibras, dormência e fisgadas). O tratando com acupuntura em muitos casos pode ser alternativa feliz prá não se fazer uma cirurgia. Tive um caso de paciente que já estava muito grave a ponto dele estar andando de moletas e sem conseguir dormir de dor e com cirurgia já marcada, mas ele com medo quis tentar de tudo antes, tratei com acupuntura, moxa, massagem, aurícular e vemtosa durante alguns meses duas vezes por semana, e junto com este tratamento ele estava também fazendo RPG duas vezes, primeiro ele fazia o RPG, logo em seguida ele vinha para se tratar comigo, em pouco tempo ele pode voltar a ter uma vida normal sem dor e andar como antes, isso prá mim e a Fisioterapeuta de RPG foi uma trabalho realizado com sucesso. Como se pode ver a medicina Chinesa e o RPG juntos fazem um trabalho de equilibrio muito maravilhoso. Que isso possa servir de exemplo para aqueles que buscam a cura sem intervenção cirurgica.

TRATANDO A FIBROMIALGIA COM ACUPUNTURA



O termo fibromialgia refere-se a uma condição dolorosa generalizada e crônica. É considerada uma síndrome porque engloba uma série de manifestações clínicas como dor, fadiga, indisposição, distúrbios do sono . No passado, pessoas que apresentavam dor generalizada e uma série de queixas mal definidas não eram levadas muito a sério. Por vezes problemas emocionais eram considerados como fator determinante desse quadro ou então um diagnóstico nebuloso de "fibrosite" era estabelecido. Isso porque acreditava-se que houvesse o envolvimento de um processo inflamatório muscular, daí a terminação "ite".

A partir da década de 80 pesquisadores do mundo inteiro têm se interessado pela fibromialgia. Vários estudos foram publicados, inclusive critérios que auxiliam no diagnóstico dessa síndrome, diferenciando-a de outras condições que acarretem dor muscular ou óssea. Esses critérios valorizam a questão da dor generalizada por um período maior que três meses e a presença de pontos dolorosos padronizados.
Reconhecida há apenas 10 anos, esta doença atinge mais mulheres acima dos 40 e ainda não tem cura, mas já pode ser tratada.

 formas de controlar e amenizar os efeitos desta doença:
  1. Exercícios físicos de baixo impacto (sobretudo caminhadas ou natação) para aumentar a produção da endorfina e melhorar a oxigenação muscular.
  2. Alongamento para aliviar a sensação de dor provocada pela contração muscular excessiva, comum em pacientes com fibromialgia.
  3. Acupuntura para melhorar a qualidade do sono, estimular a produção de serotonina e endorfina e combater a depressão e a ansiedade, e diminuição da dor.
  4. Redução das situações de estresse procurando fazer pequenas pausas de descanso ao longo do dia para evitar a fadiga.
  5. Técnicas de relaxamento: ioga, meditação, massagem, meditação, massagem e hidroterapia (a água também ameniza a dor).
Através da Acupuntura, da Massagem e do shiatsu, possibilita-se a diminuição das substancias tóxicas liberadas pela dor, pela ansiedade e o estresse restabelecendo assim o pH sanguíneo.
Relaxa a musculatura e libera endorfina (substancia do bem estar).
Traz beneficio meditativo, onde já que durante o tratamento o individuo é induzido a um estado de relaxamento profundo.
Restauraprofundamente o contato da pessoa com seu próprio ser, dando a ele a oportunidade de lidar melhor com as crises
A fibromialgia afeta até 1 em cada 50 pessoas. A maioria das pessoas com fibromialgia são mulheres. Porém, homens e crianças também podem ter essa desordem. A maioria das pessoas é diagnosticada durante a meia idade.

Pessoas com certas doenças podem ter maior probabilidade de ter fibromialgia. Essas doenças incluem:
  • Artrite reumatóide
  • Lupus eritematoso sistêmico
  • Artrite espinal
Mulheres que têm algum membro da família com fibromialgia possuem maior probabilidade de também sofrerem essa desordem.
Sintomas mais comuns:
  • Dor generalizada pelo corpo por, pelo menos, três meses.
  • Sono inquieto, superficial e não-restaurador (o paciente já acorda cansado).
  • Cansaço, perda de energia e diminuição da resistência a exercícios físicos.
  • Cólon irritado (diarréia alternada com prisões de ventre) e outras disfunções intestinais.
  • Formigamento e dormência nos braços, pernas, rosto e, sobretudo, nas mãos e nos pés.
  • Depressão de ansiedade crônicas.
  • Cefaléia.
  • Sensação de inchaço nas articulações.
  • Rigidez muscular.
  • Desconforto diante de mudanças.

 

sábado, 14 de julho de 2012

PESQUISADORES JAPONESES SCOBRIRAM QUE A ACUPUNTURA TEM EFEITOS AINDA  MAIS AMPLOS O QUE SE PREVIA.

Onda e sua equipe da Universidade Waseda descobriram não apenas que acupuntura protege contra a atrofia muscular, mas também como a milenar técnica chinesa atua no organismo que atingir esse resultado.
"Nossos resultados identificaram a acupuntura como um tratamento primário, não-farmacológico, para prevenir a atrofia muscular-esquelética," disse Onda, que pesquisou o tema durante quatro anos.
Os músculos esqueléticos, ou músculos estriados, são responsáveis por todos os movimentos voluntários. Eles se inserem sobre os ossos e sobre as cartilagens, e juntamente com a pele e o esqueleto, formam todo o invólucro exterior do nosso corpo.
Perda de massa muscular
Segundo o pesquisador, os beneficiários imediatos da nova terapia são os idosos e os pacientes longamente acamados.
A perda de massa muscular esquelética tem um efeito profundo sobre a capacidade dos idosos e dos doentes de se envolverem em atividades físicas.
Como essa musculatura de sustentação tem alta plasticidade, intervenções como treinamentos físicos, melhor nutrição e estimulação mecânica são frequentemente recomendados para prevenir a atrofia.
Infelizmente, esses podem ser objetivos difíceis demais para as pessoas já muito frágeis ou sob condições médicas graves.
O Dr. Onda insiste que é urgentemente necessária uma intervenção alternativa não-farmacológica: e a acupuntura mostrou ser essa solução.
Distrofias musculares constituem um grupo de mais de 30 doenças genéticas, muitas delas ligadas ao cromossomo X, que afetam primariamente os músculos e provocam sua degeneração progressiva.
A alteração em certos genes é responsável pela falta ou baixa produção de proteínas essenciais para o desenvolvimento da musculatura. As mulheres são portadoras assintomáticas, mas os homens manifestam a doença que pode ocorrer por herança genética recessiva, por mutação nova e espontânea do gene, ou por um erro genético durante a formação da criança.

Tipos
Distrofia muscular de Duchenne e distrofia muscular de Becker são os tipos mais conhecidos e frequentes das distrofias musculares, mas existem outros classificados de acordo com a produção anormal de determinadas proteínas musculares.
Existem formas leves de distrofia muscular de evolução lenta que só se manifestam na vida adulta. Um exemplo é a distrofia fácio-escápulo-umeral que afeta os músculos da face e da cintura escapular, região do organismo relacionada com o funcionamento e a mobilidade do membro superior.
Sintomas
O quadro clínico é extremamente variável. A mutação de um gene que determina a ausência de determinada proteína pode gerar uma doença mais leve ou mais grave. Entre os sintomas principais destacam-se:
* Atrofia e fraqueza muscular progressiva;
* Retardo e comprometimento da ambulação;
* Déficit muscular progressivo e generalizado;
* Comprometimento da musculatura respiratória e cardíaca.
Diagnóstico
O exame de sangue para análise do DNA e a biópsia do músculo são de extrema importância para estabelecer o tipo de distrofia muscular
Fundamentos fisiológicos da acupuntura
Insatisfeitos apenas com a mensuração dos resultados nos pacientes, os pesquisadores partiram então para descobrir como a acupuntura afeta os músculos esqueléticos em nível molecular.
"O foco principal do nosso estudo era a mudança nos níveis da expressão do mRNA de genes especificamente ligados à atrofia músculo-esquelética, como o atrogina-1," explica o pesquisador. "A massa muscular e a estrutura são determinados pelo equilíbrio entre a degradação e a síntese de proteínas."
A equipe comprovou que a perda de massa muscular e a diminuição do nível de expressão de mRNA do atrogina-1 (proteína ligase E3 ubiquitina) podem ser significativamente revertidas pela acupuntura.
Apesar de ser recomendada pela Organização Mundial da Saúde, ainda há poucos estudos, como este, sobre os fundamentos fisiológicos das ações benéficas da acupuntura.
COMO A MEDICINA CHINESA PODE MUDAR SUA VIDA

"A Medicina Chinesa promove não somente a cura mas também a prevenção dos malefícios que podem acometer a saúde física e mental. Mantendo a energia dos órgãos em equilíbrio (objetivo das técnicas utilizadas), nenhum sistema se sobrecarrega exigindo dos demais grupos um "trabalho" exaustivo. Proporcionando um organismo muito mais vigoroso, livre de dores e doenças."

Digo que houve uma grande mutação, um grande começo, um grande princípio, uma grande origem. A grande mutação se produziu antes do primeiro sopro, o grande começo foi o início dos sopros, o grande princípio das formas, a grande origem foi o início da matéria. A época em que os sopros, as formas, a matéria estavam amalgamados, ainda não separados, se chama caos, estado em que interagiam os seres ainda não separados. (...)? (TSE : 2001, p.14).
O presente artigo tem o objetivo de esboçar alguns conceitos básicos da Medicina desenvolvida na antiga China, com o intuito de viabilizar uma melhor compreensão sobre a Acupuntura; prática milenar realizada através da punção de agulhas em pontos ao longo do corpo, ressaltando-se, sobretudo, sua visão de ?doença? e ?cura?.
Estabelecidos no interior de uma cultura bastante específica, e diversa daquela a partir da qual situa-se o olhar que aqui se propõe a analisá-los.
A apreensão de tais conceitos esbarra, inevitavelmente, na dificuldade de uma plena compreensão de seus fundamentos.
Contudo, esse esforço se faz necessário no sentido de sermos capazes de vislumbrar certos traços elementares que indiquem algumas características da acupuntura chinesa, e da sua prática terapêutica.
A Medicina Tradicional Chinesa foi, basicamente, estruturada em princípios de cunho filosófico e empírico.
Para o antigo chinês que vivia essencialmente da agricultura, as manifestações da natureza demonstravam que havia sempre uma polaridade presente em todos os seus fenômenos: dia e noite, luz e sombra, tempo para plantar e outro para colher.
Percebeu que um movimento existia a partir do seu oposto; ao chegar ao seu auge o sol dava lugar à noite.
Denominou estas forças polares de Yang e Yin e passou a considerá-las como os princípios ordenadores do universo, que irão refletir-se na vida cotidiana dos chineses e em toda a constituição de sua sabedoria.
O Yin é representado pelo lado ensombrado de uma montanha e o Yang é seu lado ensolarado.
Estas polaridades, Yin e Yang, têm por objetivo manter a harmonia e o equilíbrio do Cosmo.
A sombra só poderia se apresentar diante da existência da luz, e vice-versa.
Assim como o dia e a noite, os contrários fazem parte de um mesmo movimento cíclico, apesar de exercerem influências diferentes sobre os elementos da natureza.(MACIOCIA, 1996).
Tudo o que existe obedece ao Princípio Absoluto, à Realidade Última, ao Tao.
Princípio este sem sinônimo literal na linguagem ocidental, aproximando-se do que entendemos por ?Caminho Certo? (JUNG, 1998).
Conceituado por Capra (2000), como um processo cósmico, um fluxo energético dinâmico que envolve todas as coisas, num processo contínuo de mutação.
É neste sentido que podemos compreender o Tao, na sua dimensão de unidade cosmológica, semelhante às águas do rio que flui continuamente, onde a sabedoria está em aprender a seguir seu curso.


As forças polares são de natureza oposta: Yin (Terra) e Yang (Céu).
Complementam-se e dependem uma da outra para existir, por serem compreendidas como estágios de um mesmo ciclo.
No movimento dinâmico da natureza, da Vida, elas se transformam continuamente na força oposta.
Quando uma atinge o auge da sua influência, ela passa a decrescer e a força oposta entra em ascensão; ao meio-dia o Yang atinge seu auge e vai aos poucos decrescendo até o anoitecer, caracterizado pelo crescimento do Yin que irá atingir seu máximo à meia-noite. (MACIOCIA, 1996).
Nesse movimento constante da Vida, as forças polares estarão presentes em tudo o que existe, no intuito de manter o equilíbrio energético do Cosmo.
Se por alguma razão este equilíbrio cósmico for abalado, as relações entre o Yang e o Yin irão se modificar, com a sobreposição de uma força sobre a outra, caracterizando o que entendemos por doença.
Apresentando quatro possíveis estados de desequilíbrio: Yang em ascensão que consumirá o Yin; preponderância de Yin; deficiência de Yin ou a deficiência do Yang. (MACIOCIA, 1996).
Com o objetivo de constituir este equilíbrio do Todo e perpetuá-lo, as forças polares Yang (céu) e Yin (terra), geraram os cinco elementos básicos, também compreendidos como os cinco movimentos naturais, cíclicos e dinâmicos.
Seus componentes são: ÁGUA, FOGO, TERRA, METAL E MADEIRA.
São representações elementares providas de complexo sentido, transcendendo a concepção estritamente física.
Para cada elemento estão designados vários aspectos da vida, inclusive a fisiologia do homem, o que possibilita utilizá-los como diagnóstico na terapêutica chinesa.
O elemento FOGO, por exemplo, está relacionado à estação climática do verão, ao órgão coração, à cor vermelha e à emoção da alegria.
De acordo com Maciocia, o termo ?elemento? não se refere unicamente aos constituintes básicos da natureza, mas sim às fases de um ciclo.
Em suas palavras:
?Os Cinco Elementos, portanto, não são os constituintes básicos da natureza, mas os cinco processos básicos, as qualidades (...) a capacidade inerente de modificação de um fenômeno?. (MACIOCIA : 1996, p.22).

A harmonia do sistema energético se mantém, devido ao Ciclo de Geração e ao Ciclo de Dominação que se interagem num permanente movimento.
Ou seja, um elemento ou movimento gera e nutre o elemento seguinte; o FOGO nutre a TERRA, o coração fortalece o baço e estômago; a ÁGUA nutre a MADEIRA, os rins fortalecem o fígado etc. E para não exceder, evitar o crescimento desordenado de um desses elementos, existe o Ciclo de Dominação, que visa controlar cada um desses.
De acordo com as premissas de Unidade Cosmológica, alicerce filosófico da Medicina Tradicional Chinesa, o Homem é compreendido como um microcosmo, onde o Yang e o Yin são as forças estruturantes do corpo através dos Cinco Elementos ou Ciclos, que estão agindo no homem desde a sua formação genética.
Por essa razão toda esta teoria do sistema energético, será utilizada no diagnóstico da terapêutica chinesa.
Cada elemento representa unidades funcionais do organismo humano, abrangendo sua fisiologia, e na mesma proporção de importância os aspectos emocionais e psíquicos relacionados a cada órgão.
Por exemplo: o elemento MADEIRA representa o Fígado (Gan) e a Vesícula Biliar (Dan).
O Gan possui entre outras funções o armazenamento de sangue (Xue), a promoção do livre fluxo do Qi ("energia" ou "sopro" que se manifesta no nível físico e psíquico), estando também ligado às emoções de irritabilidade e raiva. (MACIOCIA, 1996).
O Qi circula por canais que se estende dos órgãos vitais( Fígado, Coração, Baço, Pulmão e Rins) até estruturas mais sutis, como a emoção, a mente.
Esses canais de "energia" foram denominados aqui no Ocidente de meridianos.
E são através destes meridianos que encontramos os pontos ou acupontos, que irão ser puncionados por agulhas.
Estimulando o organismo a resgatar sua capacidade de cura, sua harmonia entre Yin e Yang.
Por isso, essa compreensão sobre o Homem em constante interação com sua subjetividade, com a Natureza, com o Universo, estar cada vez mais difundida e bem aceita em nossa sociedade considerada pós moderna.
A Medicina desenvolvida aqui no Ocidente perdeu em algum momento, a capacidade de tratar as doenças avaliando a biografia do doente.
Cada vez mais se foi compartimentalizando a função de cada órgão e seu defeito, esquecendo de avaliar a pessoa- doente, a sua subjetividade.


Por Gleice Gomes.

quinta-feira, 8 de março de 2012

A doença de Peyronie


A principal característica da doença de Peyronie é o desenvolvimento de uma placa fibrótica ou de um nódulo que se instalam na túnica albugínea – estrutura que envolve os corpos cavernosos -, comprometem sua elasticidade e impedem que eles se expandam normalmente, o que dificulta a ereção, pois esses distúrbios provocam distorções na forma e inclinação do pênis.
A doença de Peyronie se manifesta, em geral, depois dos 50 anos, mas eventualmente acomete homens jovens. Alguns meninos podem apresentar uma alteração da curvatura peniana chamada pênis curvo congênito, provocada pela desproporção entre o tamanho maior dos corpos cavernosos e menor da uretra, mas que só requer tratamento se prejudicar o desempenho sexual no futuro.
Causas
Não estão bem definidas as causas da doença, mas pequenos traumatismos ocorridos durante a relação sexual podem resultar em cicatrizes que interferem na ereção.
Estudos estão mostrando que existe uma associação dessa enfermidade com doenças reumatológicas, diabetes e uso de betabloqueadores para controlar a hipertensão arterial.
Embora não se possa dizer que seja uma doença de caráter hereditário, parece que a incidência é maior em homens da mesma família.
Sintomas
Presença de nódulo, palpável ou não, associado à dor e à curvatura do pênis durante a ereção. Essa curvatura faz com que ele se posicione para baixo, para cima ou para o lado.
Muitos pacientes ficam tão abalados, quando os sintomas se instalam, que perdem a capacidade erétil por causa da ansiedade.
Diagnóstico
O diagnóstico é basicamente clínico e, quanto antes seja feito, melhor para o resultado do tratamento. Raramente se faz necessário recorrer ao exame de ressonância magnética para visualizar a placa fibrótica e estabelecer o diagnóstico.
Tratamento
Em 20% dos casos, as placas desaparecem espontaneamente, sem tratamento algum, em um ano e meio, dois anos. * Não se aflija com a presença de uma placa ou um nódulo característicos da doença de Peyronie, se eles não interferem na atividade sexual. Nesses casos, não há sequer necessidade de tratamento clínico ou cirúrgico;
* Procure manter a calma e controlar a ansiedade. Esta, sim, pode ser responsável pela perda da capacidade erétil;
* Lembre-se de que o uso de aparelhos para aumentar o tamanho do pênis agrava o trauma responsável pela formação da placa e piora o quadro;
* Saiba que a doença de Peyronie é benigna e, mesmo sem tratamento, não representa nenhum risco para a saúde de seus portadores.
dutoras da fibrose apresentam bons resultados.
Esgotadas essas possibilidades, só depois de dois anos de evolução da doença e apenas quando a alteração prejudica a atividade sexual, o que ocorre em menos da metade dos casos, o paciente é encaminhado para cirurgia. A anestesia é geral ou de bloqueio peridural ou raquidiano.
* Não se aflija com a presença de uma placa ou um nódulo característicos da doença de Peyronie, se eles não interferem na atividade sexual. Nesses casos, não há sequer necessidade de tratamento clínico ou cirúrgico;
* Procure manter a calma e controlar a ansiedade. Esta, sim, pode ser responsável pela perda da capacidade erétil;
* Lembre-se de que o uso de aparelhos para aumentar o tamanho do pênis agrava o trauma responsável pela formação da placa e piora o quadro;
* Saiba que a doença de Peyronie é benigna e, mesmo sem tratamento, não representa nenhum risco para a saúde de seus portadores. Em 2010 me apareceu um paciente que veio me procurar queixando-se de depressão, e impotência, mas não me relatou detalhes da sua impotência. Comecei o seu tratamento, e fiz uma avaliação de sua estrutura energética, que estava com um grande aumento do Yang e um yin muito baixo, com grande deficiência dos rins, alguns sintomas, tais como: dor na sola dos pés, insônia e dificuldade de ereção. Comecei seu tratamento, com duas consultas por semana, sedando o Yang e tonificando o Yin, logo que ele sentiu os primeiros resultados de melhora, que foi logo apartir da segunda consulta,sentiu confiaça e me relatou qual era o problema de sua impotência, tinha ido ao médico que lhe falou desta doença, que prá ele foi um choque,o medico disse que só resolveria com cirurgia, com isso piorou mais a sua dificuldade de ereção, foi ai que eu lhe assegurei que era possivél uma regressão e até mesmo uma cura sem a necessidade cirúrgica, e que ele precisaria era de uma vida mais equilibrada em termos de cuidados com a alimentação, práticar exercícios físicos, dormir cedo, e continuar o seu tratamento sem tanta ansiedade, permitindo que seu organismo aceitasse o tratamento com a medicina chinesa na busca deste equilibrio energético, e com isso naturalmente ele ficaria bom. Ele ficou mais confiante e sem muita alternativa, e com a esperança de uma melhora, continuou o tratamento. Fizemos o tratamento durante quatro meses, e o nódulo foi aos poucos desaparecendo e ele se animando com a melhora significativa de sua qualidade de vida, eram dois nódulos, um desapareceu no fim dos três meses de tratamento o outro foi ficando bem pequeno a ponto de não afetar mais a sua capacidade de ereção. Fiquei muito feliz em poder ter contribuido para mais uma cura e este paciente hoje é um grande amigo e sempre me procura para de vez em quando fazer uma consulta de manutenão.

UMA OPORTUNIDADE DIVINA

UMA OPORTUNIDADE DIVINA Seres de Cristal Por Sandra M. Luz 06/03/2017 Me coloquei como um canal para os seres estelares e me pe...