domingo, 30 de dezembro de 2012

O que é moxabustão?


O termo Moxabustão tem a sua origem em duas palavras: Mogusa ou Moxa que se refere a uma planta conhecida como mogwart ou Artemísia vulgaris e Bustão vem do latim que significa queima ou combustão.

Dessa forma, a Moxabustão é um método terapêutico externo, que utiliza determinadas substâncias e ervas de artemísia, com o objetivo de queimar, defumar ou aquecer a área ou pontos afetados. Sua origem remonta a China primitiva, relacionada ao uso do fogo, ao se observar que o uso do calor podia aliviar certas dores.

Assim sendo a técnica terapêutica de fogo, desbloqueia os pontos específicos do meridiano, permitindo que o Ki flua naturalmente através dos canais de energia, fazendo com que o "Ki doente" seja eliminado, dando espaço para o "Ki saudável", assim fortalecendo as capacidades curativas do corpo.

Qual é a origem da técnica?


De acordo com a história foram desenvolvidas no Norte da China técnicas que pudessem combater as doenças relacionadas ao frio intenso e ao desequilíbrio de Yin. Essas técnicas visavam o aquecimento de determinadas regiões e pontos através do calor. Sua evolução deu origem à Moxabustão.

Além disso, foi descoberto por cientistas japoneses que a radiação infravermelha da moxa é muito similar a radiação infravermelha do corpo humano. O resultado é que o calor da moxabustão penetra profundamente no corpo, dando um efeito de calor específico que permanece por dias após o tratamento.

Para quem é indicada?


A Moxa tem indicação nos casos de situações YIN, em padrões crônicos de deficiência, ou para doenças causadas por fatores externos. Tem as funções de aquecer os canais e colaterais de energia, ativar/regular a circulação de energia (Qi) e sangue (eliminando estagnações), eliminar o frio e a umidade e recuperar a energia Yang do organismo. Pode ainda ser utilizada para o fortalecimento da saúde, se aplicada com frequência sobre pontos de acupuntura específicos, fortalecendo o fator de resistência do corpo.

Quais são os tipos de Moxa existentes?


Existem dois tipos de aplicações: a Moxa Direta e a Moxa Indireta.

Moxa Direta: a moxa é queimada diretamente sobre pontos específicos, trazendo grande estimulação para o sistema imunológico e rapidamente obtendo uma reação de cura do corpo. Essas aplicações podem ser com contato, isto é, queimadas diretamente sobre a pele ou sobre a cabeça de uma agulha de acupuntura. Ou sem contato, queimada sobre uma fatia de gengibre ou um bálsamo.

A moxa queimada diretamente sobre a pele é considerada muito terapêutica, mas é pouco utilizada principalmente no ocidente, pois pode deixar marcas e cicatrizes de queimaduras e rupturas da pele.

Moxa Indireta: é a técnica mais popular, pois existem muito menos riscos de queimaduras e cicatrizes. Nessa técnica o terapeuta utiliza o Bastão de Moxa, que é a lã de moxa comprimida e enrolada em papel de arroz na forma de um 'charuto'. Quando o bastão é aceso, ele fica a uma certa distância da pele, logo não queimando-a, mas a vibração do calor da moxa é irradiado para o ponto a qual deve ser trabalhado. Juntamente com o paciente, o terapeuta monitora o nível de calor emanado, fazendo com que a experiência com a moxa seja o mais calorosa, relaxante e segura possível. O tratamento indireto é considerado uma ótima técnica para problemas relacionados ao frio e a energia Yin, e proporciona um alívio de dores e relaxamento.

INDICAÇÕES
  • Dores Abdominais;
  • Leucorréias;
  • Lombalgias;
  • Opressão toracoabdominal;
  • Tosse e asma;
  • Trato de debilidades orgânicas;
  • Problemas musculares e ósseos;
  • Certas formas de artrite e distúrbios nervosos.
CONTRA-INDICAÇÕES
  • Nos casos de doenças febris;
  • Pacientes desnutridos ou de constituição muito frágil;
  • Pacientes que comeram muito ou que estão embriagados;
  • Em locais do corpo sobre ou próximos a ferimentos e queimaduras. Não é recomendável nos pontos da região da cabeça e do coração, ao redor dos olhos, pescoço e nuca, bem como nas proximidades dos grandes vasos sanguíneos, mamilos e órgãos sexuais.
ESCLARECIMENTOS SOBRE O TRATAMENTO
Para que o tratamento de moxaterapia seja bem sucedido é necessário orientar o paciente para que ele, em parceria com o tratamento, obedeça às seguintes orientações:
  • Beber com moderação;
  • Evitar comida crua, gordurosa e o álcool;
  • Evitar situações de estresse.
TEMPO DE APLICAÇÃO
A quantidade normal para uma aplicação é tratar uma vez por semana, mas isso depende da situação do paciente.
Caso o objetivo seja um tratamento que vise apenas a manutenção da saúde, deve-se então efetuar uma aplicação a cada 15 ou 30 dias.
 

Um Canal de Luz por Maria Silvia Orlovas: A lição do esquecimento

Um Canal de Luz por Maria Silvia Orlovas: A lição do esquecimento : ...