terça-feira, 16 de agosto de 2011

AVC: Seqüelas recuperadas com ajuda da acupuntura



No Congresso, o interessante e promissor tratamento das patologias neurológicas e seqüelas ocasionadas por acidentes vasculares cardíacos (AVCs), será tema de um workshop com o dr. Ruy Tanigawa, presidente da Associação Médica Brasileira de Acupuntura (AMBA) e do Congresso.
Acidente Vascular Cerebral (AVC)
O AVC é decorrente de problemas na circulação que levam à interrupção ou extravasamento dos vasos na região cerebral. As funções exercidas pela parte do cérebro que ficou privada de sangue e outras substâncias são paralisadas ou radicalmente reduzidas, o que ocasiona o desenvolvimento de deficiências e deformações.
Por estimular diretamente o sistema nervoso, a acupuntura é considerada hoje um dos tratamentos mais eficientes para a reabilitação dos pacientes acometidos por AVC. A craniopuntura é uma das técnicas mais utilizadas.
Criada há cerca de 30 anos pelo especialista japonês dr. Toshikatsu Yamamoto, trata-se de uma técnica em que os pontos estimulados estão localizados na cabeça. A Acupuntura Escalpiana - como também é conhecida - se diferencia da vertente chinesa, principalmente, pelo modo como as agulhas são aplicadas e pela definição das zonas de aplicação.
Na técnica tradicional, as agulhas são colocadas de maneira a atingir a maior área possível. Já na técnica do dr. Yamamoto, elas visam a um ponto específico e são colocadas precisamente sobre ele. Além disso, na acupuntura chinesa, o tratamento é realizado em função das zonas relacionadas aos sentidos, à visão e ao equilíbrio, entre outras, enquanto na craniopuntura os locais de aplicação se dividem em quatro grupos de pontos: os básicos, os sensoriais, os cerebrais e os Y (de Yamamoto), em que cada ponto corresponde a uma parte do corpo, facilitando um tratamento específico e preciso.
O tratamento com acupuntura médica, especialmente se começado de imediato, pode diminuir a dificuldade de movimentação, uma das complicações mais comuns e desagradáveis do AVC. Em alguns casos, é possível restabelecer quase completamente as funções perdidas.
A acupuntura pode fazer parte de um conjunto de tratamentos composto por especialidades convencionais - como fonoaudiologia, fisioterapia, psicologia e terapia ocupacional, por exemplo - que visa à reabilitação do paciente, para que ele retorne à sua vida social e resgate qualidade de vida.

Testemunhos de pacientes

Maria Rossignatti Tanclér, 94 anos, sofreu um acidente vascular cerebral no ano passado, que paralisou seus braços e pernas do lado direito. Sua filha, Luiza Tanclér Greco, conta que a mãe começou o tratamento com craniopuntura em agosto, pouco tempo depois do AVC.
"Hoje, ela já está levantando o braço e mexendo a perna. Ainda não pode andar, mas até dá uns chutes de vez em quando", brinca, entusiasmada com a melhora da mãe.
Luiza explica, ainda, que o tratamento de Maria não é feito exclusivamente por meio da craniopuntura, ela também toma remédios alopáticos em pequenas doses e faz fisioterapia. "Mas a acupuntura foi o ponto chave da reabilitação dela", ressalta.
Dona Maria também fez aplicações para curar o lacrimejamento excessivo dos olhos e ainda faz sessões para combater a artrose nas juntas.
Para Luiza, que também se trata com acupuntura, "todos os médicos deveriam saber tratar os pacientes com a técnica, que deveria entrar no currículo".

A AGULHA QUE SALVA !


“Agulha que salva!Uma agulha pode salvar a vida de alguém de AVC.
Vale a pena 2 min de leitura.
Uma agulha pode salvar a vida de um paciente com principios de derrame…
Dito por uma professora chinesa.
Guarde uma seringa ou uma agulha para fazer isto – é um método
inconvencional para recuperar alguém de um derrame.
          Quando um derrame estiver a ocorrer fique calmo. Independentemente de onde a vitima estiver, não a mova do lugar. Quando o derrame acontece, as veias capilares no cérebro vão-se gradualmente rompendo. Se a pessoa for movida os capilares vão se romper. Se tiver na sua casa uma seringa melhor. Se não tiver, pode usar uma agulha de costura ou um alfinete.
1. Aqueça a agulha/ alfinete para esterilizar e depois dê uma alfinetada em todos os dedos das mãos do paciente.
2. Não há pontos específicos nos dedos para a acupuntura, mas pode picar 1 milímetro perto da unha.
3. Pique até o sangue começar sair.
4. Se o sangue não começar a sair, então aperte com os dedos.
5. Quando todos os dedos começarem a sangrar, espere alguns minutos e depois puxe as orelhas do paciente até ficarem vermelhas.
6. Pique cada um dos lóbulos das orelhas até começar a sair uma gota de sangue de cada lóbulo. Depois de alguns minutos a pessoa começará a recuperar os sentidos.
            Espere até que recupere o estado normal e leve-o para o hospital. Se for levado às pressas para o hospital, a viagem turbulenta vai fazer com que os vasos capilares no cérebro se rompam.
           “Eu aprendi a tirar gotas de sangue para salvar vidas através de um médico de medicina tradicional chinesa. Ele chama-se Ha Bu Ting. Mais tarde tive experiência prática sobre o assunto e posso dizer que este método é 100% eficaz.
            Em 1979, eu era professora no colégio de Fung Gaap em Tai Chung. Uma tarde, um outro professor veio correndo para a minha sala e disse “Sra. Liu, venha rápido, o nosso supervisor teve um derrame!”
            Eu fui imediatamente para o 3º andar. O Sr. Chen Fu Tien estava pálido, o seu discurso era feito através de sussurros, a boca torta – sintomas de um derrame. Imediatamente pedi a um dos estudantes para ir a uma farmácia comprar uma seringa, que usei para picar o Sr. Chen em todos os dedos.
           Quando todos os dedos estavam a sangrar (cada um dos dedos com uma gota de sangue do tamanho de uma ervilha), o Sr. Chen começou a recuperar a sua cor. Mas a boca continuava torta. Então, eu puxei as orelhas dele para enchê-las de sangue. Quando as orelhas dele começaram a ficar vermelhas, eu piquei o lóbulo da orelha direita por 2 vezes para saírem duas gotas de sangue e depois o lóbulo da orelha squerda. Dentro de 3 a 5 minutos o formato da boca voltou ao normal e a sua maneira de falar tornou-se clara.
          Nós o deixamos descansar algum tempo e o levamos para o hospital. Ele ficou lá em repouso por uma noite e no dia seguinte deram alta para dar aula. Tudo correu normalmente. Não apareceu nenhuma doença derivada do primeiro Socorro que lhe foi aplicado. Por outro lado, normalmente as vitimas de derrame sofrem danos irreparáveis nos capilares do cérebro durante o percurso para o Hospital. Como resultado, essas vítimas nunca se recuperam.
         Por isso, o derrame é a segunda maior causa de morte. Os que têm sorte podem sobreviver, mas ficam paralíticos para toda a vida se não se tratarem com a terapia da medicina chinesa, é a única que tem 90% de cura em casos de AVC, e o pasciente volta a ter os movimentos dos membros paralisados. È coisa horrível de acontecer na vida de alguém.
         Você pode salvar alguém de ter um derrame. Em primeiro lugar devo dizer que não conheço nenhum estudo que comprove as afirmações aqui feitas. No entanto, as técnicas mencionadas fazem parte das técnicas de intervenção em acupunctura neste tipo de caso.
        Em segundo lugar, o texto, apresenta um erro, um pouco grosseiro, no que concerne à acupunctura.     
        Nomeadamente, quando afirma que não existem “pontos específicos nos dedos para acupunctura, mas pode picar 1 milímetro perto da unha”.
       Na realidade o autor deste texto acabou de usar um dos pontos específicos que não existem nos dedos. Eu passo a explicar para compreenderem o erro e para compreenderem a razão de se usarem estes pontos, tal como está estabelecido na teoria da Medicina Chinesa.
       Existe uma categoria de pontos, em acupunctura, designados 1ªs pontos Shu. Estes são os primeiros pontos de cada meridiano a contar das extremidades e localizam-se nos dedos. O P11é o ultimo ponto do Meridiano do Pulmão localiza-se a 1 mm, aproximadamente, do ângulo ungueal na margem radial do polegar. O ponto VB44 que é a Vesicula Biliar encontra-se a 0,1 cun (ou 1 mm aproximadamente) do canto da base da unha do 4ª dedo do pé no seu bordo externo. Consoante é meridiano é centripto ou centrífugo os seus primeiros pontos ou os seus últimos pontos encontram-se nos dedos.
       De acordo com a Teoria dos 5 elementos, estes primeiros pontos pertencem ao elemento madeira e, em consequência, são usados para tratar quadros de vento. Um ataque de AVC é descrito como um quadro de Vento interno em Medicina Tradicional Chinesa (MTC). Por isso estes pontos serem usados. Mas á outras situações em que eles podem ser usados como síncope. A síncope é outra condição descrita como ataque de vento em MTC.
      Recentemente uma aluna enfermeira referiu que um dos cirurgiões que trabalham com ela tinha o hábito de picar um ponto no dedo para ajudar a reanimar o paciente durante a cirurgia cardíaca. O médico não sabia porquê, mas aquele ponto resultava. O ponto referido era o ponto 9MC (Mestre do Coração) que fica na ponta do dedo médio. Também é um 1º ponto Shu. Outra das indicações destes pontos é a reanimação.
      Os pontos regulares não são os únicos pontos existentes nos dedos. Também existem pontos extra. O ponto extra diferencia-se do ponto regular pois não pertence a nenhum sistema de meridianos. De resto, ambos possuem uma localização anatómica exacta com indicações clínicas precisas.
      Shixuan é o nome de 10 pontos extra que se encontram nos dedos. Significa 10 pontos de dispersão e ficam na ponta dos dedos. Desenhando uma linha entre os extremos das unhas encontramos o ponto no centro. Estes pontos são considerados de dispersão porque tratam quadros de Vento que são quadros de plenitude. São usados em sintomas como: febre muito elevada, perda de consciência, ataques cardíacos, problemas psiquiátricos, etc…
    As suas indicações são semelhantes às indicações dos 1ªs pontos Shu que falámos incialmente. Regra geral são usados em casos muito graves pois são bastante dolorosos quando sujeitos a punctura. Outros pontos extra como o Sifeng, Baxie e Zhongkui também se localizam nos dedos e são pontos de acupunctura específicos.     
     Contudo já são indicados para outro tipo de queixas.
     Em terceiro lugar temos a questão do uso de pontos auriculares. O lóbulo é aconselhado pois é no lóbulo que se encontram muitas áreas associadas à face tal como é entendido na teoria da aurículopunctura.   Apesar de existirem estudos a favor da aurículo também existem estudos que a colocam em causa. Em particular toda a sua ligação teórica de órgãos ou partes do corpo com áreas da orelha.
     Existem, sem dúvida, áreas que são aconselhadas para este tipo de problemas. O lóbulo é uma delas. Outra hipótese poderia ser o ápice da orelha ou a área do Yang do Fígado localizada no tubérculo da hélice. Estas áreas são aconselhadas para quadros de hipertensão, tonturas, cefaleias, febre elevada, etc…  Em termos de linguagem técnica de MTC o Yang do Fígado poderia ser usado uma vez que o vento, sendo móvel, é de natureza Yang. Muitos quadros de AVC são descritos como Vento interno, uma consequência da subida de Yang do Fígado.


BIBLIOGRAFIA
Beijing University of Tradicional Chinese Medicine; et ally; Acupuncture & Moxibustion, ed. Academy Press, ISBN 7-5077-1269-9, 1ª edição, 1999, Beijing

Um Canal de Luz por Maria Silvia Orlovas: A lição do esquecimento

Um Canal de Luz por Maria Silvia Orlovas: A lição do esquecimento : ...